[Resenha] A Filha do Reich - Paulo Stucchi

Olá amores, tudo bem?

Algum tempo atrás li A Filha do Reich, que foi uma leitura que simplesmente amei. Espero que vocês gostem de conhecer!

A Filha do Reich
Autor: Paulo Stucchi
Páginas: 416
Editora: Jangada
Onde comprar: Amazon
Nota: 
*Livro cedido pela editora
SINOPSE: Ao receber a notícia da morte de seu pai Olaf – um ex-soldado alemão refugiado no Brasil –, Hugo Seemann viaja à Serra Gaúcha para cuidar do funeral. Contudo, o que parecia ser uma mera formalidade de despedida a um pai que nunca conhecera de verdade, torna-se uma jornada ao passado – aos horrores da Alemanha nazista. Durante o funeral, Hugo recebe a visita da jovem Valesca Proença, que lhe mostra uma carta enviada por Olaf à sua mãe, contendo estranhas revelações que contradizem tudo o que achavam que sabiam a respeito de seus respectivos pais. Buscando desvendar esses antigos segredos há muito enterrados, eles partem para Colônia, onde descobrirão suas origens e o passado sombrio de Olaf. Uma trama envolvendo amizades, traição, morte, amor e milagres que uma obscura organização surgida na época do Terceiro Reich fará de tudo para manter em segredo, na intenção de encobrir a verdadeira identidade sobre uma criança conhecida somente como... A Filha do Reich.
Hugo Seemann é o diretor de arte da Agência Royale e está tendo dificuldades para ter um projeto aprovado por uma grande empresa. Um dia antes da véspera de Natal ele recebe uma notícia: seu pai, Olaf Seemann, um ex-soldado alemão refugiado no Brasil, faleceu. É assim que na véspera de Natal, Hugo tem que deixar o projeto da agência nas mãos de outra pessoa e partir para Nova Petrópolis, na Serra Gaúcha, para cuidar do funeral do pai.

A relação de Hugo e Olaf nunca foi boa. Os dois não possuíam uma relação amorosa e próxima. Porém, a visão que Hugo possuía do pai vai mudar.
Olaf deixa uma carta e alguns escritos para Hugo, junto com algumas instruções: como jogar suas cinzas no rio Reno em Colônia, na Alemanha; e procurar uma mulher chamada Mariele Goldberg e lhe entregar uma carta que deixou para ela.

"Era como se, de repente, alguém puxasse as cortinas, e eu pudesse enxergar, claramente, o palco tenebroso que estava à minha frente."

A partir do momento que Hugo começa a desvendar quem de fato foi seu pai, as coisas saem do prumo. Ele sofre tentativas de assalto em Nova Petrópolis, e uma jovem, Valesca Proença, bate em sua porta informando que Olaf havia enviado uma carta para sua mãe, Martha, que faleceu algum tempo atrás.

É assim que Hugo vai descobrir o que aconteceu com seu pai no campo de concentração de Plaszow, na Cracóvia, e se meter em uma grande confusão que pode colocar sua vida em risco, já que uma organização secreta deseja que os segredos da Segunda Guerra Mundial continuem escondidos.

O que aconteceu no passado do velho Olaf? O que Hugo vai descobrir?


Essa foi uma leitura que me surpreendeu. Com uma escrita viciante, Paulo Stucchi nos mantém presos na narrativa, trazendo vários sentimentos à tona. 
Hugo não teve a oportunidade de ter uma relação de amor com o pai e finalmente vai descobrir os motivos para a frieza de Olaf.

"Nem sempre a morte nos tira o corpo. Às vezes, ela nos tira a alma. É contra isso que você deve lutar."

Olaf vivenciou momentos difíceis e surpreendentes em Plaszow. Ele teve que aprender a neglicenciar seus sentimentos e a tirar a vida alheia. Mas foi em Plaszow que Olaf conheceu o amor e presenciou um milagre.

Os personagens conseguiram me fisgar. Hugo vai crescer durante o enredo, aprendendo muito sobre o pai e sobre si mesmo. Já Olaf me conquistou mesmo com todos os seus erros, torci muito para a história dele ter outro final. Valesca é toda desinibida e amei esse jeito dela desde o começo, já que contrasta com o de Hugo.

"Porque, às vezes, para destruirmos o demônio, temos que estar ao seu lado."

A narração é feita no presente pelo Hugo e no passado pelos relatos de Olaf, o que acaba nos dando um panorama completo da vida de ambos. Confesso que fiquei vidrada com os escritos de Olaf e sempre queria mais, já que obras narradas durante a guerra sempre me fisgam.

Quando Hugo viaja para a Alemanha, as coisas acontecem rapidamente e uma sequência de eventos nos fazem perder o fôlego. Tem fogo no parquinho e pequenas reviravoltas. 
O autor soube dosar o romance, drama, suspense, mistério e ação, o que desperta as emoções certas nos leitores, que em alguns momentos estarão sofrendo e no seguinte roendo as unhas pelo que virá a seguir.
Alguns segredos vão sendo revelados durante o enredo e chegamos as páginas finais ansiosos por tudo ser finalmente esclarecido e alguns personagens se permitirem viver o que sentem.

"Aceitar a morte com honradez é infinitamente melhor do que se apegar à vida com vergonha."

A Filha do Reich é uma leitura espetacular. Trazendo temas relevantes como guerra, abusos, amizades, escolhas, amor, milagres, traição e perdão, essa é uma obra que nos prende do início ao fim. Hugo vai descobrir os segredos que Olaf guardou durante a vida e os perigos são iminentes. Quem seria a A Filha do Reich? Só lendo para descobrir...

Beijos da Lice

10 comentários

  1. Uma história com um tema que mexe com nosso emocional.Eu gosto de livros que tenham esse lado histórico,mesmo que tenha a parte fictícia sempre tem alguma reflexão sobre os acontecimentos daquela época.Gostei da indicação.bjus.

    ResponderExcluir
  2. Eu amo este estilo de escrita, já vi vários post seus e anotei diversos títulos que preciso ver. Arrasou! Já está na lista este 🤗

    ResponderExcluir
  3. Eu simplesmente amo suas resenhas, você tem o dom de nos deixar interessados seja qual for o livro. Eu já preciso saber quem é a filha do Reich

    ResponderExcluir
  4. Li o nome e felei EITA... Li a sinopse e falei EEEEIITAAA ♥ Estou empolgadíssima por aqui, quero MUITO ler esse livro mds do céu.

    ResponderExcluir
  5. Oi
    Este livro é bem interessante 🙂 gosto muito do trabalho do Paulo Stucchi

    ResponderExcluir
  6. Olá!! Terminei de ler a sua resenha já querendo comprar o livro e devorar a história. Amo histórias assim. Sua forma de elaborar a resenha é muito bem feita. Parabéns.
    xoxo

    ResponderExcluir
  7. Tenho seguido suas dicas de leitura , a quarentena tem me proporcionado esses momentos . Ainda não conhecia o autor mais a história já me conquistou.

    ResponderExcluir
  8. Oi Alice, tudo bem? Enredos assim sempre despertam minha curiosidade. Primeiro pela ambientação. É bom sair da zona de conforto. Segundo pelo período histórico. Gosto muito quando os livros nos fazem viajar, amplia nossa visão e nos estimula pesquisar, conhecer mais e descobrir mais informações sobre determinado assunto. Apesar de ouvirmos tanto sobre a Segunda Guerra há muito o que ser estudado e aprendido. Toda essa dinâmica criada pelo autor me deixou bem curiosa principalmente pelos segredos. Incrível sua resenha. Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  9. Que resenha incrível!! Esse livro sempre me faz paralisar quando vejo a capa, mas a história parece ser muito boa, e agora que você disse que é uma leitura viciante quero ler, e claro, como não ficar curiosa pra saber quem é a filha do Reich haha
    Gosto muito de ler livros desse tema, e caramba que frases mais profundas. Eu amei essas frases!
    Jardim de Palavras

    ResponderExcluir
  10. Já tinha visto uma outra resenha também bastante positiva sobre esse livro! Estou com 2 na lista de espera, vou colocar esse na lista também!!!

    ResponderExcluir