Olá amores, tudo bem com vocês?

A resenha de hoje é de um dos livros que entrou no meu hall de queridinhos e arrebatou o meu coração por completo, "Tenebris: A Herdeira de Sheol". No final do ano passado li "Tenebris: O fim é apenas o começo" e o coloquei entre as 10 Melhores Leituras de 2016. Agora, sua continuação entra no meu Top 5 de Livros preferidos da vida. Semana passada refiz a resenha de Tenebris, então quem não conferiu é só ir lá ver. Talvez essa resenha contenha alguns spoilers em relação ao livro anterior, mas em relação a esse livro, sem spoiler. Então continuem lendo essa resenha e se permitam apaixonar...

Tenebris: A Herdeira de Sheol
Autora: Erika Gomes
Páginas: 344
Editora: Independente
Onde Comprar: Amazon
Nota: 💙💙💙💙💙 / Favoritado / Melhor da Vida
*E-book cedido pela autora
SINOPSE: Sua família estava segura, enfim o que ele tanto havia desejado estava acontecendo, sabia que não era merecedor, mas ainda assim estava completo, inteiro novamente. O domínio dos três reinos estava em suas mãos e nada poderia destruir sua posição ou família.
Mas Heylel se esqueceu que acima dele existia uma soberania, a guarda daquele que é o Criador de todas as coisas, o último feito de Naiara chamou a atenção celestial, não iriam permitir que ela se levantasse como Herdeira do Sheol.
Anjos contra demônios, a guerra se aproxima, o fim estava sendo anunciado. Alianças precisam ser formadas, crenças precisam ser restabelecidas, em meio ao caos máscaras caem e revelam que nem todos que deveriam ser luz, escolheram iluminar e aqueles que carregam as trevas decidiram mudar por amor.
Seria possível a compaixão do Criador alcançar as profundezas?
Seria possível em meio a destruição, existir esperança ?
Até onde pode-se ir por amor ?
Até onde o pecado pode ser perdoado?
Prepare-se para o começo do apocalipse e surpreenda-se com cada revelação. Tenebris A herdeira do Sheol, vai impactar você.

Naiara acabou de descobrir que além de filha do demônio, ela também é filha de uma bruxa, a bruxa mais poderosa. Em meio a isso, a jovem ainda tem que lidar com seu namorado demônio, um anjo caído marcado para ser seu e seu melhor amigo desaparecido.
A vida da garota no Sheol está para lá de animada e mesmo não sendo uma vida comum, tem lá as suas peculiaridades de uma adolescente prestes a completar 18 anos.

O perigo de uma guerra ronda a todos, pois seus pais Heylel e Amarantha sabem que a filha possui muito poder, algo único e inestimável, e que isso não é bem visto por todos. Mesmo assim, eles estão planejando uma festa de 18 anos para a filha, onde ela será apresentada para todos no inferno como a herdeira deles.
"Não haveria marca poderosa o suficiente que há fizesse ceder a Yekun [...] Ela sabia a quem pertencia"
Em paralelo a vida no inferno, temos o céu. Gabriel, o amigo desaparecido de Naiara foi levado para lá, pois ele é um anjo que foi enviado a Terra para proteger a cria de Lúcifer durante sua vida. No céu, Gabriel terá que lidar com uma nova vida, com novas descobertas e com seus sentimentos. Ele conhecerá Diego, um anjo lindo e calmo; e Miguel, um anjo que não aceita a traição de Heylel e quer apenas uma coisa: vingança.

De volta ao inferno, Naiara continua tendo seus ataques como uma boa adolescente. Ela surta em vários momentos por diferentes motivos, como a quantidade de parentes que ela descobre que tem a cada dia, é como se eles brotassem da Terra. 
Naiara também está com o coração dividido. De um lado, um demônio sexy e totalmente apaixonante que ela escolheu amar, Agares. Do outro lado um anjo caído que está marcado para ser seu, Yekun. Ela não consegue separar o que sente por ambos e sua confusão apenas aumenta quando Agares é sequestrado por Miguel e levado ao céu. A garota terá que pedir ajuda a Azazyel, um dos comandantes dos três reinos do Sheol. Com a distância de Agares e a viagem atrás de Azazyel, ela se aproximará de Yekun. Será um coração capaz de suportar a força de um marcado?
"Naquele momento, quando pela primeira vez ele conseguiu de sua amada um sorriso sincero, sem maldade e sem troca de farpas, ele entendeu Heylel, sentiu o calor  do próprio sol o invadindo e derretendo o gelo de sua existência, ela era tudo o que ele precisava"
Esse não é um livro sobre o coração dividido de Naiara, esse é um livro sobre a nossa vida. Sobre o que é o bem e sobre o que é o mal. Muitas coisas acontecerão, muitas lutas marcarão as páginas, muitas lágrimas serão caídas e muitas reflexões entrarão no coração. A redenção é possível? A Herdeira de Sheol será capaz de parar uma possível guerra? O inferno é um lugar apenas com pessoas más? O céu é totalmente bom?
Naiara é uma personagem forte. Mesmo tendo seus pequenos surtos, ela ainda consegue suportar muito bem todos os acontecimentos de sua vida. Não é fácil perceber que durante 17 anos se viveu apenas mentiras. Como uma boa jovem, ela está descobrindo sentimentos novos, se descobrindo. O crescimento dela durante o livro apenas enche o leitor de orgulho, é incrível ver o quanto ela se apodera do seu destino, do seu reino e do seu papel como herdeira.

Agares continua sendo o mozão master e o dono da porra toda. Ele continua com seu jeito totalmente sarcástico e com seu ciúme aflorado. Ele tem muitas dores dentro de si, ele sempre se doou as outras pessoas, mas nunca teve alguém para cuidar dele. 
Já Yekun é a grande surpresa do livro. Eu não gostei dele no primeiro livro e já tinha deixado isso claro na resenha anterior. Esse papo de ser marcado para ser da Nai me incomodava bastante. Mas, no Herdeira, podemos conhecer outro Yekun, um que tem seu coração totalmente entregue a Nai, ele abriria mão da sua felicidade apenas para vê-la feliz. Ele foi me conquistando aos poucos e quando eu vi, ele já tinha levado boa parte do meu coração (desculpa Agares).
"Jamais passou por sua cabeça que as pessoas estavam predestinadas umas às outras, para ela sempre foi uma questão de escolha, de se encontrar em outro alguém e ali querer ficar"
Heylel continua buscando a sua redenção perante Deus. O amor que ele sente por sua família é gigantesco e pode ser sentido por todos que leem as páginas desse livro. Ter Amarantha e Naiara ao seu lado apenas dar mais força a ele para se manter sã e não liberar a sua ruína. Ele quer ser um homem/demônio bom, ele quer cuidar da sua família, protegê-los.
Amarantha por sua vez, liberou todo seu poder de bruxa. Ela está ensinando a Nai toda a força que guarda dentro de si. Ela é uma mulher forte, decisiva, potente. Ela é a sabedoria em pessoa, ela irá descobrir antes da Nai o seu futuro.

A Élida continua sendo um personagem que me arranca muitas gargalhadas. A pequena que se veste de rosa e tem tamanho de uma criança também tem uma força descomunal.
Gabriel é um personagem que não sei explicar bem minha relação com ele. Já amei, já odiei, mas ao terminar a leitura só sentia uma coisa, pena. Ele vai sofrer uma mudança drástica, e isso, infelizmente, não é para o bem.
"Gabriel, os humanos são limitados em todas as áreas. Amar deveria ser algo livre, sem limites, padrões, deveria ser somente... Amor. Quando rotulamos a forma como alguém deve ser amado, deixa de ser amor e passa a ser somente fardo"
Os novos personagens inseridos são maravilhosos. Vou começar falando do Azazyel, que também me arrancou boas gargalhadas. Ele é um caído (muito lindo por sinal), que comanda um dos três reinos do inferno, os outros dois são comandados por Heylel e Belial. Ele é sarcástico, bom humorado e não tem papas na língua. Ele não é tão mal quanto parece.
Diego, é um anjo doce, compenetrado e que consegue enxergar o melhor lado das pessoas, é totalmente bom. Miguel, por sua vez, é a antítese de Diego. Mesmo sendo um anjo ele é amargurado e consegue ser pior do que os demônios que ouvimos falar.
Ah, não posso deixar de falar de Gabriela, um anjo que irá mexer com os sentimentos de um certo demônio, será que teremos um quadrado amoroso?! A Gabriela é sarcástica, bem humorada e decidida, ou você a ama ou a odeia, com ela não tem meio termo.
A relação da Nai com Agares no começo do livro é intensa, tão intensa como no anterior. A força que passa entre eles é descomunal, é muito poderosa. Já a relação dela com Yekun, vai sendo construída aos poucos, graças a ausência de Agares. Com Yekun ela apenas sente que é o certo, ela apenas consegue sentir uma leveza. Confesso que fiquei mais confusa que a Nai durante toda a obra, meu coração dava pulos e mudava de posição a cada novo capítulo. Para quem não gosta de triângulo amoroso, não se preocupem, garanto que nesse caso vocês irão entender a personagem e não achar que é frescura, simplesmente tinha que ser daquele jeito.
"Minha alma estava mergulhada na mais profunda treva, não havia sinal de redenção para mim, até o dia em que você sorrio e de uma forma inexplicável trouxe luz a minha escuridão. Olhou minha alma e ainda assim me amou Amarantha, não acredito que Ele iria me fazer chegar tão perto do paraíso e depois fechar as portas"
O livro tem uma pegada muito forte de aventura e suspense. Em momento algum a leitura é linear, você vai sendo sugado para cada capítulo e entrando na vida daqueles personagens de cabeça. A Nai está descobrindo ainda mais segredos do seu passado, coisas que podem mexer com o mundo, literalmente.

A narração é em terceira pessoa e se divide entre todos os núcleos da obra, assim conseguimos realmente viver dentro do céu e do inferno. Para quem ler os dois livros, irá ficar nítido o quanto a escrita da Erika evoluiu, ela trabalhou muito bem os elementos que tinha a sua disposição e construiu uma ficção que você não deseja parar.
As cenas de lutas são reais e bem montadas. O leitor consegue ter uma projeção de cada ato, é como se você estivesse sentado em frente a uma televisão vendo um filme passar. O livro tem muitos plot twist, e o final não poderia te deixar mais ansioso para o desfecho da trilogia.
Agora chegou o momento de falar sobre as reflexões/lições da obra. Quem me conhece sabe que sempre entrego meu coração as leituras e o deixo sentir tudo que elas tem para me oferecer e nesse caso não foi diferente. O diferente aqui é que senti demais. Vivi todos os extremos dentro dessa obra, gargalhei, chorei e senti como se estivesse tendo uma conexão bem forte com o meu interior, com Deus. Creio que algumas pessoas estejam se perguntando: Mas esse livro fala do demônio, como você sentiu conexão com Deus? Então, nada é realmente o que parece. A Erika colocou sua alma nessa obra, ela colocou seu coração, seus pensamentos, suas esperanças e felizmente consegui absorver tudo isto.

O primeiro ponto que vou abordar é que a Erika trata os anjos como seres sem sexos. Sim, os anjos apenas possuem a fisionomia que desejam e não tem preocupação alguma com sexo, ou com as pessoas que irão se relacionar. Bem aqui, a Erika dá um tapa na cara dos preconceituosos e homofóbicos. O amor é livre, o amor é apenas para ser sentido e realmente creio que o amor de Deus não difere a opção sexual das pessoas. Para mim, Deus sempre vai amar a todos igualmente, somos todos filhos do mesmo pai.
"Eu acreditei durante toda a minha vida que o demônio era vermelho e chifrudo, hoje você me provou que ele tem asas brancas e se intitula anjo"
Algumas pessoas querem ser Deus, se acham no poder de julgar o seu próximo, apenas pela crença e opinião que possuem. Isso parece certo para vocês? O único que pode julgar as nossas ações é Deus, você erra tanto quanto qualquer um. Enquanto as pessoas continuarem com este pensamento de julgamento, o mundo continuará em guerra, pois a guerra começa com o julgamento, com o achar que você é o certo.

Quantas vezes você acredita que Deus olhou para nós, meros humanos e fez essa pergunta: "Meus filhos! Até quando?" Até quando viveremos dessa forma? Até quando deixaremos o nosso coração ser preenchido por trevas? Até quando teremos um mundo de guerra? Até quando o ódio será maior que o amor? Até quando o preconceito fará morada nas almas? Até quando todo o amor que Deus nos deu será apenas jogado no lixo por algumas pessoas? Até quando?
"O amor quando é real, ele aquece, envolve, protege, mas o amor jamais prende, sufoca, domina. O amor é leve"
Agora, lhes jogo uma pergunta simples: existe o bem e o mal? O que é o bem para você? E o mal?
As pessoas possuem esses dois lados dentro de si, e um lado sempre irá assumir a maior porção. Infelizmente, uma parte das pessoas se deixam consumir pelo lado mal, se deixam corromper, deixam sua essência ser arrancada. Na obra temos dois exemplos disso, o primeiro deles é Heylel. Ele foi o anjo que desafiou Deus, mas ele se arrependeu, ele quer o perdão, ele viu no amor a força que precisava. Todos os dias Heylel luta contra o mal que existe dentro dele desde que abandou o céu, todo o dia ele opta pelo bem.
Já Gabriel, era ao contrário. Um personagem que conhecia apenas o bem, mas que se deixou mudar por palavras ditas por pessoas que só têm escuridão dentro de si. As palavras possuem uma força descomunal e quando você não tem o seu interior muito bem resguardado, elas podem fazer um estrago imensurável. 

No primeiro livro, a história de ser marcado a alguém me perturbou. Sinceramente, no momento em que realizei a leitura da obra não estava preparada para lidar com esta verdade, com este pensamento, ainda estava querendo transformar o "errado" em certo, e isto nunca será possível.
Ser marcado a alguém é basicamente a predestinação. Você nasceu para ficar com alguém que a muito tempo já tinha sido escolhido para ser seu. Eu acredito nisto, acredito que cada pessoa possui alguém aí fora no mundão apenas te esperando, esperando para se completar, para trazer leveza a sua vida. No entanto, cada ser humano tem o livre arbítrio. Cada pessoa pode fazer novas escolhas, mudar o seu destino. E qual amor poderia ser mais forte do que aquele que você escolheu com sua alma e coração?
"Você abala todo o equilíbrio entre os mundos Naiara, por isso, sua existência é uma ofensa para os celestes e uma arma para os daqui"
Sinceramente, eu não gostaria de ser a Nai. Ela está vivendo uma ebulição, ela está perdida dentro de si mesma. Ela está tentando se encontrar e lidar com algumas verdades no meio do caminho, verdades essas que irão desestabilizá-la e transformá-la em um poço de inconsistência e pertubação.
É difícil ver seu coração querendo ser partido ao meio. É difícil saber que você irá causar dor em alguém, inevitavelmente. É difícil descobrir que você pode ser o céu e o inferno de alguém.
Uma adolescente está lidando com todos esses problemas, e ela irá ter que provar que tem a força de uma Herdeira, que o sangue que corre em suas veias é potente e que ela pode ser o bem para o mundo! E o amor, ah meus caros, o amor ainda é a coisa mais bela que pode existir em um ser humano...

Entregue seu coração a Herdeira do Sheol e permita-se sentir tudo que a Naiara vive...
"Miguel, meu filho, quando entenderá que o julgar, cabe somente a mim?"
Beijos da Lice

18 Comentários

  1. Nossa, fiquei passada aqui com tudo que li. Quanta coisa ela enfrenta né? Um misto de emoções e acontecimentos.
    Naiara é muito "forte" para enfrentar tudo isto. Adorei sua resenha.

    ResponderExcluir
  2. Me parece que esse segundo livro já tem mais cara de guerra. Pode ficar interessante isso aí.
    Não sei se eu curto muito a ideia de predestinação, me incomoda um pouco. É como o determinismo de uma forma geral. Sei lá.

    Suas resenhas são ótimas, muito completas e dão um bom panorama geral do que a obra é. Essa segunda resenha já me faz acreditar que é uma boa série, apesar de eu saber que não sou o público alvo.

    Uma sugestão/dica: Talvez a pessoa leia as duas resenhas direto antes de ler os livros (como eu) e o começo dessa já revela coisas do final do primeiro livro. Acho válido colocar um aviso, ou algo do tipo. Eu não ligo para spoiler, mas tem gente que leva isso muito a sério.

    Excelente resenha.
    Parabéns

    ResponderExcluir
  3. Bem horripilante não é? Eu precisaria ser um pouquinho mais corajosa para ler o livro, mas como viajo fácil, aliás, viajei na sua viagem, muito boa sua resenha. Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Me parece espetacular pode ter certeza que só com a sua resenha fui impactada

    ResponderExcluir
  5. oi!
    O livro é maravilhoso :D Adoro quando a literatura nos oferece um ponto de vista nunca antes imaginado ;)
    bjo

    ResponderExcluir
  6. Poxa, cade meu comentário?? =/
    Não tem problema, escrevo novamente *-*

    Lice, sabe o quanto a forma que tem de ler minhas obras, toca o meu coração, mas confesso que com Herdeira, você se superou e me surpreendeu de uma forma muito positiva <3

    Fico feliz demais em ver cada personagens através dos seus olhos e me emocionar com cada palavra dita. Muito obrigada por esse carinho lindo e essa sensibilidade de conseguir iluminar, até as trevas mais densas!

    ResponderExcluir
  7. Você contando parece que consigo ver os personagens
    você escreve bem.

    ResponderExcluir
  8. Cheguei a perder o folego com sua narrativa, tão intensa e maravilhosa. Já tinha lido a resenha Tenebris e me apaixonei pelo livro, com essa só veio a certeza, tenho que ler o mais rápido esses livros! Adorei. Abraços

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Ainda não tinha ouvido falar da obra, mas percebi que é uma leitura de tirar o fôlego e que desperta muitas emoções no leitor.
    Gostei muito dos elementos que a autora inseriu na história, bem como a variedade de seres. Essa questão do anjo não ter sexo foi bem bacana, pois também acho que amor não tem gênero.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  10. Parece ser uma leitura cheia de ações que nos deixam bem presos a dinâmica da leitura! Gostei!

    ResponderExcluir
  11. Creio nuito em predestinação e tudo o que já foi determinado para nós, antes mesmo de ser. Adorei a resenha e achei a história impressionante!

    Blog da Sah | Instagram | Fan Page

    ResponderExcluir
  12. Amo histórias com anjos. Eles são fodas.

    ResponderExcluir
  13. Eu já li o primeiro livro e até comecei ler esse, mas o cartão que estava o arquivo sumiu. Tá aqui em casa, só não sei onde. A história criada pela Érika é incrível.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir
  14. Que história incrível! Só pela tua resenha já pude imaginar um pouco como deve ser o livro e fiquei encantada. Já anotei mais essa indicação para minha lista de desejos que está enorme. Bjs

    ResponderExcluir
  15. Uauuu! Como eu nunca ouvo falar desse livro? É envolvente, o estilo de história que acompanharia com prazer!

    ResponderExcluir
  16. Eu já tinha lido a sua resenha do primeiro livro e estava esperando sair essa resenha para colocar os livros na minha lista de compra pq claro que fiquei bem curiosa para ler ambos

    ResponderExcluir
  17. Não é o tipo de livro que prende a minha atenção, mas a sua resenha ficou ótima, bem explicada e clara, até mesmo pra pessoas que como eu não acompanham histórias assim.

    ResponderExcluir