[Resenha] Veggys: O Resgate da Colônia - Amanda Bessi

Olá amores, tudo bem?

A Amanda Bessi lançou recentemente na Amazon uma distopia, e como sou apaixonada pelo gênero, é claro que já fui dar uma conferida.
Antes do post vou aproveitar para uma dica super bacana para vocês, da Cupom.Org, para garantir descontos. Passa no link: https://www.cupom.org/vivara.com.br/ e aproveita!

Veggys: O Resgate da Colônia
Autora: Amanda Bessi
Páginas: 206
Onde comprar: Amazon
Nota:  
*E-book cedido pela autora
SINOPSE:
Em um futuro distópico, algumas pessoas de países pobres começam a desenvolver na adolescência dons capazes de entrar em sintonia com a natureza e modificá-la para o bem. Pessoas que conseguem purificar rios, fertilizar solos, crescer raízes ou até mesmo controlar o vento, os chamados Veggys.
Considerados bênçãos no início, após uma série de desastres os envolvendo, eles são obrigados a se cadastrarem e andar com uma coleira, caso se envolvam em algum acidente são trancafiados em Colônias para o “bem da população”. Para os governantes ambiciosos, isso é apenas o início de um grande plano.
No Brasil, onde um presidente opressor domina e as redes sociais foram banidas, deixando a população à mercê de quem está no poder e sem contato com outros países, Agatha, uma Veggy não cadastrada, e seu irmão, Lucas, sonham em resgatar sua mãe, que está há anos na maior Colônia do país em São Paulo.
O que parece inalcançável se torna possível através de contatos um tanto quanto inusitados que querem quase o mesmo que eles, ainda que para isso coloquem em risco a vida de pessoas próximas e tomem decisões que jamais poderão voltar atrás.
E você? Teria coragem de ir contra um Governo corrupto e opressor para defender aqueles que ama? Romance e ação estão garantidos nessa distopia que se passa no Brasil e te levará a um futuro que pode estar mais perto da realidade.
O ano é 2130 e o mundo está muito diferente do que conhecemos. Os Veggys, seres humanos que possuem dons ligados à natureza, surgiram em 2030 nos países pobres, mas ninguém sabe o que ocasionou o surgimento deles.
No Brasil, o governo exige que todo Veggy tenha uma coleira e seja registrado, além de que os Veggys que cometem alguma espécie de infração são mandados para a Colônia, um local que o governo considera bom para os Veggys.

"As pessoas estavam sendo criadas para pensarem que somos ruins, que somos vilões."

Agatha é uma Veggy não cadastrada, graças a uma invenção do seu pai, que permite que os Olheiros, que são os responsáveis por "caçar Veggys" nas ruas, não a detectem.
Ela trabalha em um jornal, mas, infelizmente, a mídia já não tem controle do que publicar, o governo opressor decide o que quer mostrar à população.

"Vivíamos em uma prisão, onde maniulavam o que devíamos ver e ouvir. Pobre população, tanto de dinheiro como de conhecimento."

Agatha e seu irmão, Lucas, treinam em casa, escondidos, com um único objetivo: resgatar a mãe deles, que se encontra na maior Colônia do Brasil, que localiza-se em São Paulo.
Só que ao mesmo tempo que os planos da família de Agatha estão indo bem, visto que Lucas encontrou aliados que também estão dispostos a derrubarem a Colônia, tudo vai começar a ruir aos poucos.


Essa distopia me surpreendeu bastante. Esse é o primeiro trabalho da Amanda e posso afirmar que ela já chegou mostrando um potencial enorme.
Todo o universo dela foi bem desenvolvido e ela conseguiu inserir pontos bem cruciais na sua narrativa, como: mistério, ação e um romance que tem tudo para dar muito errado.

"As notícias, muitas vezes, não eram o que deveriam ser, porque a mídia manipulava demais, muitas vezes por ordens do governo e outras, para ganhar destaque."

A situação no Brasil é extremamente chocante. Estamos lidando com um governo opressor que comanda todas as informações que chegam à população. Não existe mais acesso à internet ou ao Youtube, além dos cidadãos não fazerem ideia do que ocorre em outros países. Basicamente, o Brasil está em um bolha, comandado por quem manipula tudo.

A Agatha e o Lucas não possuem uma boa relação, e no início não sabemos muito bem o motivo, apenas que a Agatha seria a culpada pela situação da família. No decorrer da narrativa tudo vai sendo explicado e os pontos vão sendo ligados. 
Mesmo sem ser um Veggy, o Lucas é corajoso, inclusive está sempre se metendo em confusão. Creio que em alguns momentos ele foi egoísta ao culpar a Agatha por tudo, mas isso é bem compreensível, dada toda a situação.

"Devo admitir que esse infeliz odiador de Veggys causava um efeito estranho em mim, como se meu peito ficasse apertado toda vez que nos encontrávamos."

Como citei acima, a Amanda também decidiu trazer um romance nessas páginas e gostei disso. Jonas é um jornalista que trabalha com Agatha, mas ele é a favor do governo e repudia completamente os Veggys. Já deu pra sacar que esse romance não vai ser nada fácil, né?! Achei que o envolvimento foi um pouco abrupto, mas não chega a ser algo ruim e que irá atrapalhar a leitura.
Eu tive muita raiva do Jonas, principalmente no início, porque as falas dele me causaram asco. Porém, o desenvolvimento dele foi muito bom, e algumas revelações em relação a ele e sua família me deixaram chocada.

A história é narrada em primeira pessoa pela visão da Agatha e em terceira pela visão de outros personagens. Gostei muito de termos essa divisão, pois faz o leitor conhecer todos que aparecem nessa narrativa.

"Não é porque as coisas estão boas para você que não precisa olhar abaixo do seu nariz."

Durante essa leitura refleti bastante a respeito do que pode nos aguardar no futuro. Não duvido muito que estejamos chegando perto de termos um governo opressor, que vá tentar calar a todo custo a população. Mas espero que possamos ser resistência, assim como a Agatha.

Os capítulos finais são cheios de revelações e com a presença de alguns plots. Umas coisas consegui sacar antes de serem reveladas, já outras não. 
É quase impossível você finalizar essa leitura e não ficar desejando o próximo livro. Tudo acaba no momento de mais tensão e quando precisamos de respostas.

"Tudo que é diferente ocasiona medo em pessoas incapazes de evoluir."

Veggys: O Resgate da Colônia é uma distopia que tem tudo para prender quem curte uma aventura jovem com muitas revelações, romance e ação. Trazendo um governo opressor, uma população "cega" e mostrando um vislumbre do que está por vir, essa é uma leitura que te faz refletir muito. Sem dúvida, recomendo demais!

Beijos da Lice

9 comentários

  1. oi!
    Eu adorei a sugestão de livro :D a temática é bem interessante, ainda não conhecia a autora

    ResponderExcluir
  2. Nossa, só a sinopse me deixou mega curiosa. Adoro livros assim. Fiquei até ansiosa aqui hehehe

    ResponderExcluir
  3. Que livro intenso! Eu adorei a sua resenha!

    ResponderExcluir
  4. Já amei e já quero ler, adoro esse tipo de leitura, é bom pra tirar o foco dos problemas, e em algumas situações até ajuda a resolver alguns! Valeu pela dica!
    Bjus!

    ResponderExcluir
  5. amei sua resenha
    adoro livros
    e esse eu ainda não conhecia

    ResponderExcluir
  6. Parece ser até um reflexo da sociedade que estamos vivendo agora... um governo que quer oprimir, uma parte da população cega por esse governo e a outra parte como resistência. Enfim... gostei da sua resenha. Parece ser uma história distópica muito boa e atual. E também é bom valorizarmos autores nacionais. :D
    Beijão! ♥

    Relíquias da Lara

    ResponderExcluir
  7. Que criativo, já li uma distopia, não é meu ponto forte, mas acho interessante em especial quando tem algo assim como a limpeza da natureza, bem curioso

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem? Adorei a dica pois nunca li uma distopia em território nacional. Sou fã do gênero, mas só conheci até agora distopias internacionais. Acho que aqui temos uma boa chance de me iniciar nesse aspecto né? Excelente postagem, e com certeza quero ler!
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. O enredo do livro flerta um pouco com a realidade de muitos países no momento,acho muito importante evidenciar essa temática até para abrir novos horizontes na vida de muitos.Necessário.

    ResponderExcluir