[Resenha] O Estranho do Parapeito - Mari Scotti

Olá amores, tudo bem?

Hoje é dia de conversar com vocês sobre um livro da Mari Scotti, que me fez sentir várias emoções ao longo da leitura.

O Estranho do Parapeito
Autora: Mari Scotti
Páginas: 237
Onde comprar: Amazon
Nota: 
  Gatilho para suicídio, depressão, violência doméstica e fobias
*E-book cedido pela autora
SINOPSE: 
O sonho estava acontecendo e era realidade: música, shows, uma esposa e um filho recém-nascido compunham o pacote da felicidade que Marcello estava vivendo. Mas o destino, imprevisível, tirou tudo dele.
Foi no silêncio e sem ter esperanças para o futuro que o viúvo sobreviveu aos últimos anos.
Já Larissa, avessa a aglomerações, tumultos e sons muito altos, aproveita ao máximo o silêncio na cobertura de um apartamento em São Paulo até que um estranho interrompe sua calmaria.
É no Centro Cultural que ocupa seu tempo livre, ajudando sobreviventes como ela. É ali também onde Marcello se sente obrigado a ministrar aulas de Libras.
Histórias trágicas podem levar esperança àqueles que acreditam em dar um passo de cada vez?
Marcello perdeu tudo em um acidente de carro: sua esposa, seu filho e sua audição. O homem era um  músico famoso e depois da tragédia se reclusou, passando a viver com sua própria solidão. Ele desistiu da carreira e se afastou de todos.

"Seria tão mais fácil apenas acabar com tudo isso!"

Larissa Antunes cresceu em um lar com violência doméstica, onde ela e a mãe eram vítimas. Seu pai foi preso, mas as sequelas de sua mãe eram tão grandes, que a mulher precisou se mudar para uma clínica psiquiátrica.
Já as consequências para Larissa estão relacionadas ao surgimento de fobias e sua aversão a barulhos.

"Ter de superar porque todo mundo queria isso era exaustivo."

Quando Marcello decide tirar sua vida no parapeito do apartamento de Larissa, a vida dos dois se cruza... Será que ambos vão conseguir lidar com os traumas que carregam em si por tantos anos?


Essa foi uma leitura sensível e com uma grande lição sobre recomeço. Marcello lida com a dor da perda, que o consome e o faz cogitar o suicídio. O homem não perdeu apenas sua família, mas também o que mais amava fazer.
Larissa, por sua vez, carrega os traumas de uma vida pautada pela violência. A mulher precisa encarar suas fobias todos os dias, o que é difícil e exaustivo psicologicamente.

A Mari trouxe muita inclusão com essa narrativa. O primeiro ponto é que temos um personagem surdo, que ressalta a importância da Libras e nos faz refletir como muitas vezes essas pessoas sofrem por não conseguirem se sentir incluídas na sociedade. Além disso, a autora trouxe para discussão a questão das doenças psicológicas. Falar sobre depressão, sendo verossímel nos sentimentos e ações dos personagens, é muito relevante. É fácil para o leitor se identificar com algum dos personagens ou enxergar uma pessoa querida na pele deles.

"As crises vinham do nada e senti minha respiração começar a se fechar. Meu batimento cardíaco acelerou e meu corpo começou a tremular."

Lidar com o luto não é fácil e Marcello se fechou em um casulo da forma como muitas pessoas fazem. Sentimentos de culpa, dor, medo e angústia serão apenas alguns que irão pautar esses personagens.
Um dos pontos que mais gostei é que mesmo com suas próprias dores, Larissa e Marcello, de alguma forma, estão dispostos a ajudar outras pessoas, seja direta ou indiretamente.

O romance acontece de forma natural, até porque o foco da narrativa é abordar essas questões psicológicas dos personagens.
O processo de cicatrização deles é lento, como seria para qualquer pessoa que passou por situações parecidas.

"O problema de se criar esperança era que, quando a tiravam de você, tudo parecia uma merda!"

O Estranho do Parapeito é um grito de socorro em forma de livro. Com temas profundos, a Mari soube construir personagens intensos e que durante a narrativa vão passar por vários processos importantes. Uma leitura que em alguns momentos é difícil pela carga emocional, mas estritamente necessária.

Beijos da Lice

8 comentários

  1. Oi
    Eu não conhecia o teabalho da autora 🙂 a historia é bem interessante

    ResponderExcluir
  2. Que bacana a dica de leitura e sua resenha sobre. Não conhecia a autora. Com certeza uma excelente leitura!

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia a autora,eu amei as dicas de leitura amo este estilo de leitura.

    ResponderExcluir
  4. Olá Alice,
    Uma leitura envolvente com personagens sofridos. Suas impressões sobre o livro me deixou curiosa, obrigada pela indicação.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Parece ser uma leitura intensa, mas esse tipo de livro sempre nos trás algo de bom, nos faz refletir na vida, gostei muito, já anotei aqui o nome!

    ResponderExcluir
  6. Não conhecia esse livro, mas adorei a sua resenha. Parece ser bom

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem? Adorei a dica de história, principalmente para quando eu quero ler livros com temáticas mais profundas. Não conhecia o livro, mas a autora já me foi recomendada. Com certeza vou ler. Aliás amei a foto e a resenha! Dica anotada!
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Já ouvi falar desse livro outras vezes, e é bem o estilo que gosto de ler, mas acho que no momento como não estou no meu melhor estado emocional, não seria a hora certa para ler!
    Obrigada pela dica e pela sinceridade.

    ResponderExcluir