[Resenha] Uma Lenda Japonesa - Adriana Jungbluth

Olá amores, tudo bem?

A resenha de hoje é de um livro com a dose certa de ação, reflexão e delicadeza. A Adriana soube traçar uma história com todos os elementos que nos deixam vidrados. Espero que gostem de conhecer!

Uma Lenda Japonesa
Autora: Adriana Jungbluth
Páginas: 236
Editora: Coerência
Onde comprar: Editora Coerência / Amazon
Nota: 
*Livro cedido pela autora
SINOPSE: Aileen é uma jovem de dezesseis anos que sempre vê o melhor das pessoas. Após passar a infância na Inglaterra, ela retorna ao Japão no período de decadência dos samurais. Com a ajuda de Ikawa, seu melhor amigo, começa a se adaptar à sua nova vida, até que uma doença misteriosa atinge os moradores da cidade em que vivem. É então que os dois se veem numa jornada em busca da cura.
Durante essa aventura, eles conhecem Nara, cuja saúde é muito frágil, e Kasigi, um samurai que reluta em abandonar os velhos costumes. Juntos, eles terão de enfrentar fome, frio, cansaço e o que mais vier pela frente. E essa batalha será ainda mais dura para Alieen, que tentará descobrir sua origem, lutará para transformar Kasigi na pessoa boa que era e conhecerá o amor de uma forma dolorosa e inesperada.
Durante o período feudal do Japão, os samurais eram muito respeitados e duas famílias poderosas eram rivais: os Minowara e os Takashima. As duas famílias travaram uma guerra violenta pelo poder do Japão e depois de muitas perdas fizeram um acordo: cada família teria o poder durante certo período. O poder começou então pelos Minowara, porém, quando os Takashima deveriam assumir, os Minowara não deixaram e começaram uma perseguição à família rival, com o propósito de eliminar todos os descendentes Takashima.

Kasigi cresceu em uma vila e era um dos últimos descendente Takashima. Quando a vila recebeu duas novas moradoras, logo Kasigi se tornou amigo de Nara, uma jovem com saúde frágil. Quando Kasigi tinha treze anos, a vila foi invadida por samurais Minowara, que acabaram matando todos os moradores do local. Kasigi e Nara foram os únicos que conseguiram sobreviver.
"O que importa não é a descendência das pessoas, e sim o que elas são."
Por causa do ocorrido, Kasigi deixou o ódio tomar conta de si. Ele levou Nara para um Santuário e  saiu em busca da sua vingança, disposto a matar todos os Minowara. Para cada pessoa que Kasigi matava, uma lágrima de sangue descia pelo rosto de Nara.

Em paralelo, vamos conhecer a jovem Aileen, que foi criada pelo pai na Inglaterra, mas aos 13 anos foi mandada para o Japão, para viver com o padre Yuri. Junto com o padre Yuri, o monge Izu e o aprendiz Ikawa, ela vai ter pela primeira vez uma família. 
Três anos depois de chegar ao Japão, uma doença vai começar a assolar o país. As pessoas que pegam a doença caem em um sono profundo.
"Um dominado pelo ódio e a outra confinada à morte por ele."
Assim, Aileen e Ikawa saem em busca do Escolhido, o único capaz de salvar o povo japônes da doença. E nessa jornada eles irão conhecer Nara e Kasigi. Onde o destino dessas pessoas tão diferentes se cruza?


Essa leitura foi uma grata surpresa. A escrita da Adriana se mostrou fabulosa, ela teceu a história com maestria, fazendo o destino desses personagens se cruzarem no momento correto, onde todos os pontos são interligados e fazem sentido. 

Uma das coisas que mais gostei nessa leitura foi a força da Aileen. A jovem nunca recebeu amor do seu pai, mas apesar disso cresceu como uma jovem determinada e altruísta, que não tem medo de expor a sua opinião. Em meio aos samurais, Aileen tem um belo destaque.
"A magia de nossas vidas está em descobrir as coisas e vivê-las uma depois da outra."
Kasigi viveu com ódio depois da chacina que ocorreu em sua vila e nem mesmo Nara foi capaz de o fazer abandonar essa vida de vingança. É compreensível as atitudes de Kasigi, já que os Minowara tiraram tudo dele. Mas, com ele vamos ter a certeza que a vingança não compensa, ela apenas tira momentos que poderiam ser únicos. 

Os personagens secundários foram bem explorados pela autora, que conseguiu colocar importância para cada um deles. Ikawa consegue se sobressair, já que está vai passar pela jornada com Aileen e acabar se descobrindo nesse processo.

A jornada de Aileen e Ikawa em busca do Escolhido foi pautada por muita ação, fome, sede e reviravoltas, o que torna a leitura fluída, já que não conseguimos largar até chegar ao final. Toda a questão da profecia envolvendo o Escolhido e a rivalidade entre os Minowara e os Takashima foi bem explorada. A autora soube construir uma história por trás com consciência e os elementos fantásticos implantados são um bônus bem interessante.
"Se eu tentasse matá-lo porque ele quis acabar com a minha vida estaria rebaixando-me e seria como ele."
Consegui matar a questão do Escolhido logo que apareceu, mas isso não atrapalhou a leitura, já que se trata mais da jornada do que da revelação em si. 
A Adriana conseguiu trazer algumas reflexões interessantes dentro da narrativa. Ela mostra que mesmo algumas pessoas sendo maus, as demais não devem pagar por isso, que ainda existe solução nas pessoas boas. De certa forma isso acaba nos dando esperança de que ainda poderemos ter um mundo melhor um dia. 

A apresentação da cultura japonesa foi outro ponto bem feito pela autora, que conseguiu passar ao leitor muitas informações importantes sobre isto. Embarcamos com facilidade no Japão e nos sentimos vivenciando todas aquelas situações junto com os personagens.

A edição dessa obra está linda. Além dessa capa delicada e que tem tudo a ver com a narrativa, cada abertura de capítulo conta com árvore de sakuras e um templo. Já a revisão também está bem feita. Em suma, um belo trabalho da Coerência.
"Eu trouxe muita tristeza para os Minowara e não quero mais continuar com isso. Se eu viver, não sei se o ódio que habita meu coração me deixará em paz."
Uma Lenda Japonesa traça as histórias de pessoas muito diferentes. A alegre e jovem Aileen vai se deparar com um Kasigi tomado pelo ódio. Ela vai tentar tirá-lo desse caminho enquanto o Japão entra em um sono profundo. Uma narrativa delicada e sensível, com a dose certa de ação e reviravoltas. Essa é uma história que ficará marcada por muito tempo por sua força e mensagens. Esse livro é um grito para que todos acreditem na bondade humana e em um futuro melhor.

Beijos da Lice

10 comentários

  1. Parece uma trama muito boa. Não conhecia o livro, mas curti a proposta. Gosto de personagens fortes e gostei de saber sobre a otima composição das personagens secundárias.
    Bjus,
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
  2. Olá Alice,
    me apaixonei assim que vi a capa deste livro. Está muito fofo! Quanto à história achei muito interessante e parece muito bem construída. Sua resenha está bacana de ler. parece que já estamos na história!

    Anotei a dica aqui. Quero muito esta obra! =D
    Beijinho!

    ResponderExcluir
  3. Oie, primeiro: que livro lindo, capa dele é maravilhosa.
    E uma história contanto sobre uma cultura tão rica é lindo demais, geralmente estamos acostumados a ver historias italianas, alemãs, Inglesas, mas Japonesa ganhou meu coração.

    ResponderExcluir
  4. Oi
    Eu adorei a capa 😊 é uma gracinha, a história é bem interessante

    ResponderExcluir
  5. Que lindo, gosto muito de tudo que envolve a cultura japonesa, é uma cultura tão rica! Além da trama interessante e bem amarrada, o livro ainda nos possibilita embarcar nessa viagem conhecendo um pouco mais sobre o Japão feudal, curti muito a ideia! A capa está linda, bem delicada.

    ResponderExcluir
  6. Que interessante a trama do livro, parece ser algo bem intenso.
    Eu gosto muito de livros que se passam no japão por achar que dá pra usar muita coisa daquela cultura se pesquisar bem! Gostei muito e a capa é bem fofa, adorei a combinação das cores! Fiquei super interessada! <3

    ResponderExcluir
  7. Que capa maravilhosa. E a história parece ser bem interessante. Anotado.

    ResponderExcluir
  8. Gosto da temática. Acho rica e cheia de vieses para ser explorados. Amei a capa e já fiquei interessada.

    ResponderExcluir
  9. Oi Alice! Nossa, eu to apaixonada pela premissa da história. Fiquei curiosa com a ligação da lágrima de sangue, acredita? Senti mesmo mt vontade de ler e conhecer a escrita da autora. Eu tenho estado louca para ler tramar que se passam no Japão. Comprei até dois livros que se passam por lá. Vou acrescentar esse na lista. Beijos
    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  10. Ola. Para mim o Japão feudal e um período muito triste. Foi nessa época em que o cristianismo foi banido é seus adeptos torturados e mortos. Infelizmente foi uma época muito obscura. Porém não podemos generalizar né. Acho que vou dar uma conferida no livro. Mas de qualquer forma é uma mancha na história do país do sol nascente. Abraços.

    ResponderExcluir