Lendo Psicose de Robert Bloch


Olá leitores, tudo bem?

Quem me acompanha por aqui ou no instagram, tem percebido que ultimamente tenho me aventurado em outros gêneros literários, que andam me surpreendendo bastante. Psicose foi uma indicação da Andreia Nascimento e devorei este livro de forma impressionante.
Como a obra já é conhecida tanto pelo livro, quanto pelo filme e série, resolvi trazer apenas um post contando a minha experiência com a leitura e não uma resenha propriamente dita.



Em Psicose vamos conhecer Norman Bates, um homem de 40 anos que comanda o Motel Bates junto com a sua mãe, Norma. A relação de Norman com a mãe é um tanto quanto conturbada, sendo abusiva por conta de uma mãe dominadora.

O Motel Bates não está localizado em uma rodovia movimentada, por isso apresenta pouca rotatividade de hóspedes.
A jovem Mary Crane vai chegar ao Motel depois de ter roubado 40 mil dólares de seu chefe e estar fugindo para a casa do seu namorado.

Neste primeiro momento vamos acompanhar a morte de Mary, que aconteceu no Motel enquanto ela estava tomando banho. 
A partir disto, somos conduzidos por um enredo em que a irmã de Mary e seu namorado estão buscando respostas para o desaparecimento da jovem. Enquanto isso, Norman tenta apagar qualquer vestígio que coloque ele e sua mãe em risco.


Apesar de ser uma obra publicada originalmente em 1959, não senti dificuldade em me envolver com o enredo construído pelo Robert. Fui envolvida facilmente pela escrita, tanto é que a finalizei em um dia.

Entrar na cabeça de Norman é delicioso, pois temos uma compreensão de como a psicose com esquizofrenia age nas atitudes dele. Bates vive em uma realidade paralela, onde alucinações e a perda de contato com a realidade fazem parte da sua rotina. 
Ele tem picos de atitudes violentas que o fazem perder a noção do que está fazendo durante um breve período de tempo.
"Você odeia as pessoas. Porque, na verdade, você tem medo delas."
As peças sobre a relação de Norman com a mãe e o que aconteceu em seu passado vão sendo reveladas aos poucos, a partir do momento que entramos mais afundo na vida do personagem. 
O Robert conduziu com muita facilidade o leitor para a mente de Norman, trazendo uma narrativa com a dose certa de perturbação e suspense.
Algumas cenas acabam tendo um teor violento, mas no geral achei a obra bem fácil de ser lida e digerida.

Eu não conhecia nada do livro quando o comecei a ler, porque evito ler as sinopses das histórias. Então, por isso, durante a leitura acabei criando uma ideia errada da narrativa. E ao chegar ao final foi que realmente compreendi o propósito e o motivo desta obra ser considerada um clássico do horror.
O foco de Psicose é a mente e doença de Norman, e como isto o conduziu durante a sua vida. Além, é claro, da relação de possessividade existente entre ele e sua mãe.


Ainda não vi o filme, que é um sucesso estrondoso de Alfred Hitchcock, pois o mesmo saiu do catálogo da Netflix. Porém, já comecei a assistir a série que foi inspirada no livro: Bates Motel.
Vou na primeira temporada ainda, mas estou gostando de terem abordado a adolescência de Norman Bates, pois mostra de forma destrinchada como é a relação dele com a mãe e a possessividade existente em ambos. 

Quando terminar a série estou pensando em trazer um post sobre a mesma, visto que acho que seria válido falar apenas sobre a visão que a série nos apresenta.

Agora me contem: Vocês já leram Psicose? Já viram o filme ou a série?

Beijos da Lice

10 comentários

  1. oi!
    Eu vi o filme Psicose e a serie e adorei, ainda não li o livro.. Ja coloquei na lista de leitura.

    ResponderExcluir
  2. Estou com esse livro na minha estante, espero estar lendo em breve, pois estou muito curioso. Deve ser uma história e tanto,ainda mais que se trata de um clássico.

    ResponderExcluir
  3. Oi,tudo bem ?

    Não conhecia a história do livro, apenas ouvi muito falar dele e vários elogios. A proposta está bem interessante e com toda certeza é uma ótima indicação de livro para todos que amam o gênero assim como a série citada também arrecada elogios.

    ResponderExcluir
  4. Olá!

    Há muitos anos eu comecei a assistir a primeira adaptação desse livro, mas acabei não terminando.
    Confesso que tenho bastante vontade de ler o livro e assistir a série, porém nesse caso em particular, quero conferir o livro primeiro.
    Fico feliz que você tenha gostado, mesmo aventurando-se em um gênero que você não está acostumada. É muito bom ser surpreendida!

    ResponderExcluir
  5. Olá , percebi a mudança que tem aventurado em novos gênero literário , eu sou bem eclético leio de tudo . Quero ler também Psicose ,mais ainda não tive um tempo.

    ResponderExcluir
  6. Quando eu estava no Brasil no ano passado, minha sobrinha comprou esse livro, ela adora esse tipo de livro, aliás, minha sobrinha adora ler,o quanto da minha sobrinha e cheio na prateleira deste gênero de livro. Este é um dos livros que deu origem a muitos filmes de suspense.

    ResponderExcluir
  7. É uma pena que o filme tenha saído do catálogo da Netflix, esse tipo de coisa me desanima um pouco porque o catálogo tem ficado cada vez mais escasso :/

    As empresas estão tirando para abrirem seus próprios serviços de streaming.

    Adorei sua resenha, não sabia que existia um livro, mas deve ser muito interessante porque geralmente eles tem diferenças em comparação â outras mídias.

    Obrigado pela indicação :3


    🌗 Relatos de um Garoto de Outro Planeta

    ResponderExcluir
  8. Eu amei a forma que tu escreveu esse post. Fiquei interessada no livro e na série, não conhecia sobre o que se trata Bates motel, mas prefiro ler só o livro mesmo. Pelo jeito que tu contou é muito interessante. Beijo

    ResponderExcluir
  9. Psicose é um clássico e é referência quando se trata de horror. Gosto muito do filme, além da temática, claro.
    O livro eu nunca li, me despertou ainda mais interesse de adicioná-lo à minha coleção.
    Clássicos são clássicos ♥

    ResponderExcluir
  10. Já li esse Psicose e achei muito impactante! Espero que você assista logo a versão do Hitchcock, é incrível! Enquanto a série eu já vi também e amo muito

    ResponderExcluir