[Resenha] Tudo Que Posso Ver - Cinthia Basso

Olá amores, tudo bem?

Hoje venho resenhar mais um lançamento da Cinthia que me apaixonei completamente e me fez viver ótimos momentos durante a leitura. Garanto que vale a pena cada segundo de leitura!

Tudo Que Posso Ver
Autora: Cinthia Basso
Páginas: 807
Onde comprar: Amazon
Nota: 
*E-book cedido pela autora
SINOPSE: Erika Albuquerque sempre teve sua vida traçada, com a certeza de que um futuro glorioso a esperava. No entanto, por que ela não se sentia feliz? Entre idas e vindas da vida, ela acaba se encontrando na avenida Sentimento, onde um estúdio de tatuagem se sobressaía ao seu mundo caótico de cores.
Com uma singularidade, Erika conseguia enxergar tudo o que os outros... não conseguiam ver. E ao colocar seus olhos naquele homem, teve a súbita certeza que nada seria o mesmo sem ele.
Athos Monteiro, uma pessoa tranquila, que vivia cada dia por vez, não imaginava que a sessão marcada em uma segunda-feira calma e sem pretensões mudaria a sua rotina de uma forma tão irreversível. Ele não sabia o que estava acontecendo, mas tinha a noção de que aquela mulher com cabelos cacheados e olhos tão verdes, quanto esmeraldas, o deixava incomodado de uma maneira estranha e sem explicação.
Athos e Erika não deveriam se encontrar, mas, entre uma trama de mistérios e mentiras, se veem interligados. Correndo contra um sentimento tão irrefreável quanto uma tempestade e tão inevitável... como o tempo. 
Erika Albuquerque cresceu com um futuro perfeito traçado por sua família. E por isso mesmo, quando percebeu que tinha algo que a diferenciava das outras pessoas, ela guardou isso para si, como seu segredo particular. Erika tem uma condição rara, denominada de Tetracromatismo, onde a pessoa que a tem consegue enxergar cerca de 99 milhões de cores.

A jovem está em um relacionamento com Ricardo, que é bem visto pelos pais de ambos. Ultimamente a relação não anda muito bem e Erika resolveu fazer uma tatuagem com o nome do dito cujo para demonstrar seus sentimentos.
O irmão dela, Theo, indicou o estúdio de tatuagem onde faz as suas para ela, e é na Athos & Eros que Erika vai ter seu mundo balançado.
"Quando se vivia coisas horríveis o suficiente na infância para superar, era meio que impossível não questionar todas as crenças que tentavam fixar na sua cabeça."
Athos Monteiro é dono de um estúdio de tatuagem com o seu melhor amigo, Eros. O homem teve uma infância difícil e dolorosa, e encontrou na arte a sua forma de libertação. Athos é o típico homem que encanta qualquer mulher com apenas um olhar, mas que guarda nesse mesmo olhar mais dores do que qualquer um poderia imaginar.

Quando Erika chega ao estúdio de tatuagem, Athos já está disposto a fazê-la mudar de ideia, mas ela já sabia que seria uma burrada.
A partir do momento que eles se veem, algo acontece. E apesar de tentar evitar qualquer contato com a Patricinha, Athos verá que se tornará impossível.
"Só amar não adianta, Patricinha. Se não cuidarmos do sentimento, se transforma em indiferença e morre tão rápido quanto nasceu. Uma faísca pode começar o incêndio instantaneamente e a falta de combustível pode terminar com ele do mesmo modo."
Erika e Athos são dois opostos que se encontraram pelo destino e que precisarão passar pelas tempestades que os assolam... Quais as chances de isso dá certo?


Tudo Que Posso Ver é um livro lindo, emocionante e doloroso. A Cinthia trouxe temas importantes e conseguiu colocar nas páginas todo o drama e emoção necessária.
Além de abordar a condição de Erika, mostrando como a jovem sofre com dores de cabeças frequentes por causa de todas as cores que enxerga, ela também trouxe um tema extremamente doloroso: o abuso infantil.

Quem acompanha o blog sabe que gosto de ler obras com este tema e o quanto sou mexida pelo mesmo. A Cinthia tratou o abuso infantil de forma crua, se tornando impossível o leitor não ficar com um bolo na garganta e não se debulhar em lágrimas em muitos momentos. NADA foi romantizado!
"Estávamos quebrados. E procurávamos a cola que não deixaria o restante dos pedaços separarem para sempre."
A Erika sempre viveu em uma bolha e pela primeira vez vai se permitir se libertar. A crescente da personagem foi incrível e adorei o fato dela começar a se impor, principalmente em relação aos seus pais. Erika é uma flor no processo de desabrochamento.
Athos conquista desde o primeiro momento com seu vocabulário despojado e sua forma livre de viver. E todo o passado dele apenas nos faz ficar mais encantados pelas lutas já travou e venceu, que não foram poucas.

Eros foi outro personagem que me encantou. O sócio de Athos se intitula como o próprio deus do amor e leva isto a sério, com todas as conquistas descaradas. É impossível não gargalhar com os momentos de Eros. Já estou louca para um livro dele!
Theo, irmão de Erika, foi o responsável pelo meu choro mais longo. Ele é o tipo de pessoa que faria tudo para proteger a irmã. E Bruno é um amigo dos outros três homens, e também importante para a trama.
"Se deixar que seu passado fique entre você e qualquer pessoa, nunca será feliz. deixe que alguém te ajude a lidar com isso."
Os pais de Erika e do Theo, Heitor e Olívia, irão causar raiva em todos os momentos. Ambos são controladores e desejam impor suas verdades aos filhos. Foi isto que fez Theo sair de casa e abandonar completamente a vida que levava.
Mas, no final, confesso que entendi um pouco de Olívia, apesar de nada justificar suas atitudes.

A escrita da Cinthia apenas evolui de uma obra para outra e este livro apenas reafirma isto e mostra como ela é incrível. A narrativa dividida entre a Erika e o Athos traz drama, dores, mas também alívios cômicos. Tudo foi bem podado e feito com consciência pela Cinthia, para despertar no leitor os sentimentos necessários.
"Sou todo errado, mas quero ser o certo pra você."
O desfecho do livro traz relações do passado e do presente, precisando reafirmar as certezas de Athos e Erika. Os dois foram feridos em algum momento da vida e ainda estão na frase de reconstrução. Athos já viu a morte de perto e conseguiu se reerguer, Erika vai bater de frente com ela. E entre momentos angustiantes, dolorosos e insanos, eles precisarão fazer do sentimento que os cerca o mais forte. Nem tudo que você ver é como você enxerga...

Beijos da Lice

7 comentários

  1. Olá Alice , a capa do livro já nos encanta , bela e criativa. A história do casal é bem interessante, um casal em fase de reconstruções.ja quero ler.

    ResponderExcluir
  2. Eu amei a resenha desse livro... ele de fato parece ser muito marcante e a história muito interessante. Ganha vários pontos só por essa capa maravilhosa.
    Amo capas com cores ♥

    ResponderExcluir
  3. A capa do livro é linda, achei bastante feminina, gostei muito da sua resenha o livro tem uma história que vai agradar os leitores, torcendo para o casal bjs.

    ResponderExcluir
  4. Oi
    Eu adorei a dica é a capa é maravilhosa, a história é bem interessante

    ResponderExcluir
  5. Só pela capa esse livro já me ganhou, tão linda! A explosão de cores ilumina e nos faz querer saber mais sobre essa trama, que aliás parece ser bem sensível pois toca em um tema tão delicado, o abuso infantil. Ah, adorei os nomes dos personagens Athos e Eros, são diferentes e marcantes!

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem? Que capa mais diferente. Tão colorida, tão chamativa, com certeza desperta curiosidade. Nunca li nenhuma história com personagens que tivessem essa doença. Inclusive nem sabia que existia. Imagina conseguir enxergar tantas cores assim. Entendo porque quis manter segredo. Não conhecia a autora mas percebo que ela criou uma história cativante. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  7. Muito bonita a capa, a mistura de cores me fez pensar nos livros de colorir. Sobre o enredo, creio que para quem curte romance romântico seja uma boa pedida.

    ResponderExcluir