[Resenha] Aos Dezessete Anos - Ava Dellaira

Olá leitores, tudo bem?

Alguns dias atrás li essa obra da Ava e foi o meu primeiro contato com a autora. E hoje venho contar para vocês como foi a minha experiência com a leitura.

Aos dezessete anos
Autora: Ava Dellaira
Páginas: 448
Editora: Seguinte
Onde comprar: Amazon
Nota: 
*Livro cedido pela Editora
SINOPSE: Em seu novo romance arrebatador, a autora de Cartas de amor aos mortos apresenta uma mãe e uma filha que precisam compreender o passado para poder seguir em frente. Quando tinha dezessete anos, Marilyn viveu um amor intenso, mas acabou seguindo seu próprio caminho e criando uma filha sozinha. Angie, por sua vez, é mestiça e sempre quis saber mais sobre a família do pai e sua ascendência negra, mas tudo o que sua mãe contou foi que ele morreu num acidente de carro antes de ela nascer. Quando Angie descobre indícios de que seu pai pode estar vivo, ela viaja para Los Angeles atrás de seu paradeiro, acompanhada de seu ex-namorado, Sam. Em sua busca, Angie vai descobrir mais sobre sua mãe, sobre o que aconteceu com seu pai e, principalmente, sobre si mesma.
Angie sempre achou que seu pai estava morto, mas ela acabou de descobrir que talvez a sua mãe, Marilyn, tenha mentido para ela ao longo dos seus 17 anos. 
Para tentar descobrir a verdade do que aconteceu com seu pai, Angie parte para Los Angeles com seu ex-namorado, Sam.

Marilyn foi uma jovem que cresceu com a pressão de sua mãe para se tornar uma grande atriz. Depois da morte de seu pai, ela e mãe se mudaram inúmeras vezes e depois de mais um fracasso, Marilyn com 17 anos chega a casa do seu tio paterno.
Ela está decidida que no ano que vem, quando estiver maior de idade, irá fazer faculdade bem longe dali e seguir sua vida em frente.
"Você tem que ser quem as pessoas amam esperam que você seja. E nem sempre é você mesmo, infelizmente"
No prédio do seu tio, Marilyn acaba conhecendo James. Aos poucos, ela e James vão se conhecendo melhor e um sentimento nasce. Marilyn e James começam a sonhar com um futuro juntos e de realizações para eles.

O que deu errado no meio do caminho? O que aconteceu de fato com James?


Com narração em terceira pessoa entre a Angie e Marilyn, vamos conhecendo mãe e filha, e percebendo o quanto os dezessete anos delas foram diferentes.
Marilyn sempre teve que se anular para viver um sonho da mãe e conhecer James foi como seu bálsamo. James é um negro, que tinha perdido sua mãe ainda pequeno, tem um irmão menor, Justin, e mora com os avós. Ele é inteligente e tem tudo para entrar em uma boa universidade, assim como é o desejo de Marilyn.

Essa fase da vida de Marilyn foi vivida com altos e baixos. Ela aproveitou muitos momentos com James e vamos vendo essa relação sendo criada. É interessante ver como foi essa fase da mãe da Angie, e temos um grande foco nesse passado da personagem, já que ele é fundamental para entendermos o presente.

Já no presente, temos a Angie sendo apresentada e como surgiram as dúvidas em relação ao seu pai está vivo. Angie nos mostra como se envolveu com Sam, e como ele se transformou em seu ex-namorado. Ela é uma adolescente vivendo todos os conflitos de se achar no mundo e que deseja conhecer sua ascendência negra.
"Angie chega nessa cidade de sete milhões de habitantes perseguindo um único fantasma. Enquanto eles atravessam a noite em direção à cidade infinita, ela pode sentir. Seu pai está aqui, escondido em algum lugar entre as luzes"
Durante a leitura, achei muitos momentos massantes e não consegui me conectar a história completamente, sentia falta de algo. Acho legal o leitor conhecer a mãe e a filha, mas eu esperava um pouco mais.
Apenas me identifiquei com a história nas últimas 50 páginas, que é onde todos os segredos acerca do passado de Marilyn são revelados e a compreendemos por completo. Foram páginas intensas, que inclusive me levaram as lágrimas.

Os temas abordados são interessantes, principalmente a questão racial e o preconceito velado que muitas vezes Angie passou por ser filha de Marilyn, já que a garota é negra e sua mãe branca. Mas, foram assuntos abordados de forma tão leve, que senti falta de algo mais impactante. Apesar que esse "impactante" surge nessas últimas páginas que citei, faltou ser melhor trabalhado durante o enredo.

A escrita da Ava é boa, jovem e limpa, mas não foi o suficiente para esta conexão com a obra. Mesmo assim, quero ler outros livros da autora.
Quanto a edição, a Seguinte arrasa. Muito bem diagramado e revisado, além dessa capa incrível que nos traz a representação da Angie e uma das paixões da Marilyn, a fotografia.
"Ela e Sam são duas gotinhas de água, mas ali, juntos, de repente são todo o mar. Talvez seja verdade que não existam finais felizes. Mas, agora, Angie fica grata de estar no que parece ser um começo"
Aos dezessete anos é um livro sobre descobertas. Angie está tentando descobrir mais do seu passado e no processo encontrará ela mesma. Marilyn está nos mostrando seu passado e como tudo mudou de repente. É sobre o amor de uma mãe, que abriu mão de algumas coisas pela filha. É a história de um amor lindo aos dezessete anos. No fim, um registro de uma foto não é suficiente para uma vida... Angie e Marilyn sabem muito bem disso!

Beijos da Lice

9 comentários

  1. Parece interessante a autora traçar esse paralelo entre as duas na idade de 17 anos. Faz com que o leitor conheça mais cada uma delas. Fiquei curioso para saber o desfecho.

    ResponderExcluir
  2. Oie
    Tenho muita vontade de ler este livro, tem um enredo muito bom e sempre vejo ótimos comentários sobre. Eu adoro esta capa.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi Alice! Eu já tinha visto esse livro em alguns bookgrams, mas não sabia muito sobre o que falava. Achei interessante a premissa de traçar paralelos entre os 17 anos da mãe e da filha. Uma pena quando a leitura acaba não nos envolvendo, acho que acaba fazendo com que a leitura não flua. Eu conheço a Ava de de Carta de Amor aos Mortos, que eu não li tudo, por falta de tempo, mas o que li, ainda não tinha me agradado.
    Quem sabe com esse não seja diferente. Beijos
    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  4. Oi Lice!!
    Eu tenho um livro dessa autora, autografado por sinal, mas nunca li. Nem sei dizer o porque de nunca ter lido. Eu já tinha visto essa capa por aí, mas não tinha lido nada sobre ele. Uma pena que a autora tenha deixado a emoção apenas para as últimas páginas. É tão chato quando isso acontece, pois acabamos a leitura sem nos conectar com os personagens.
    Obrigada pela dica!!
    Bjs
    https://almde50tons.wordpress.com

    ResponderExcluir
  5. Olá Alice, tudo bem? =)

    Nunca tinha escutado nada sobre este livro, mas sua resenha não me conquistou para ler ele, já que não te conquistou também e acho complicado ter que esperar muito para finalmente ter o que se espera.

    Obrigada pela indicação <3

    Beijinhoss, Tham

    http://www.4youbooksmania.com

    ResponderExcluir
  6. Uma pena que não tenha se sentido tão ligada ao livro, ainda mais porque a premissa é ótima, mas pelo menos foi mais envolventes mais pras páginas finais

    ResponderExcluir
  7. Não tinha ouvido falar do livro mas gostei da sua resenha e fiquei bem curiosa, parece um bom livro.

    ResponderExcluir
  8. Esse livro anda sendo comentado no meio literário de forma positiva e isso está me deixando interessado. E lendo sua resenha, que está bem completa, fiquei com a curiosidade mais aguçada.

    ResponderExcluir
  9. Gostei do livro é bem teen mesmo, acredito que esta estoria de descobertas atraves da busca pelo seu pai deve ser um mix de aventura também, no momento não seria bem um livro que colocaria na listinha de leitura. Beijos

    ResponderExcluir