Publicação Independente: Vale a pena?


Olá leitores, tudo bem?

Hoje resolvi falar sobre autores que desejam fazer uma publicação independente dos seus livros. Este tema abre leque para muitas discussões e para falar com mais propriedade sobre o assunto, resolvi trazer a opinião de duas autoras que utilizam este método de publicação. 

Antes de tudo, sabemos o quanto é difícil publicar um livro no Brasil. Na maioria dos casos, a publicação por editoras custa um rim e muitas vezes não sai como o planejado. Não estou generalizando a situação, pois existem editoras realmente muito boas e com um trabalho de divulgação maravilhoso (Editora Coerência está aí mostrando isso), mas outras editoras de porte pequeno não acabam dando todo o suporte que um autor espera/deseja. Assim, o número de publicações independentes têm crescido e muitas pessoas devem se perguntar: vale a pena? 
A experiência de outros autores neste momento de dúvida é importante, então nada melhor do que trazer opinião de quem utiliza este tipo de publicação.


Autora Érika Gomes
Publicações Independentes: Tenebris - O fim é apenas o começo, Tenebris - A Herdeira do Sheol, Uma Nova Mensagem e Eu Aceito.
Publicações por Editoras: Tenebris - O fim é apenas o começo e Tenebris - A Herdeira do Sheol.
Contato: Instagram/Facebook



"Falar sobre o mercado editorial é algo complicado, pois temos um mar de autores se levantando na mesma medida que um mar de novas editoras, mas ambos estão despreparados para fazer seu sonho dar certo. Da mesmo forma que temos autores com a escrita ruim, textos sem revisão, diagramação terrível e e-books surgindo na Amazon e Wattpad; temos pessoas que se reúnem com o mínimo que uma empresa precisa ter para ser profissional e se intitulam editoras. Sem um cômodo para chamar de escritório, somente agregando mais e mais autores a carteira da “editora”. Não cumprem prazo de entrega, não pagam os funcionários, demoram meses para o envio dos livros comprados no site, enfim, uma avalanche de erros grotescos, que não somente acabam com o nome da própria marca criada, mas mancham o mercado editorial nacional, levantando os independentes. 
Com sinceridade, acredito que esse seja o melhor caminho para quem quer ter o sonho do livro físico em mãos, caso não tenha contrato com uma boa editora e quando digo boa, é boa mesmo. Editora que invista em seus autores, divulguem o seu trabalho, façam eventos e coloquem os autores da casa em destaque no meio literário e hoje em dia, temos uma ou outra que trabalham dessa forma e muito bem, nas demais, o que vemos é somente um aglomerado de pessoas tentando encontrar um lugar ao sol e se você não cair na graça do editor chefe, não for pertencente a uma “panelinha”, esquece, não existe como fazer acontecer. 

Voltamos então ao independente. 
É um mercado que está crescendo a cada dia e levando com ele os profissionais do meio. Um autor tem sua obra escrita, mas vai precisar de um capista, diagramador, revisão e com isso, vai gerando renda para as pessoas que trabalham no meio, sem contar a facilidade de enviar um arquivo por e-mail para uma gráfica, pagar infinitamente menos do que os contratos absurdos que as tais editoras propõem e ter em suas mãos o tão sonhado livro físico e de que forma você autor que está lendo esse post pode começar a trabalhar? Vamos lá: 

- Escreva sua obra 
- Registre na BN 
- Contrate um capista (temos ótimos profissionais com preços muito acessíveis) 
- Contrate um revisor 
- Contrate um diagramador 

Tudo feito, obra revisada, diagramada, capa pronta? Abra a pré-venda do seu livro. 
Faça um banner legal, com uma imagem em mockup do seu livro já com a capa linda. Vejam o valor que irá gastar na impressão da unidade + o valor do envio módico e não vou te falar para colocar seu lucro, pois isso infelizmente não existe para quem está começando, é somente por amor e nada mais. Geralmente os nacionais costumam sair em torno de R$25,00 com o frete incluso e os mais ousados R$ 30,00. Divulguem essa pré-venda nos grupos literários do Facebook e Instagram, e cruzem os dedos para realmente cair nas graças dos leitores e fazer dar certo. Com base na quantidade de livros vendidos em pré-venda, saberá o quanto deve ser impresso. Feito isso, procure uma gráfica, que temos aos baldes também:

- Bok2 
- MX 
- Letras e Versos 
- Meta 

E por aí vai. Essas gráficas nos dão a opção de solicitarmos somente 10 exemplares, o que ajuda, e muito, a baixa produção. Envie seu arquivo de miolo e capa, receba seu exemplar em casa ou retire na própria gráfica e viva seu sonho de ser um autor nacional!"




Autora Jhey Lee
Publicações Independentes: Feridos - Por escolha ou destino e Contos de Terror para ler antes de dormir (ambos esgotados).
Próximo Lançamento: Feridos - Lado a lado com o inimigo
Contato: Instagram/Facebook



"Como o próprio nome já diz, faz de você um autor que não depende de editoras, porém faz de você responsável por todo o processo do livro.
Você tem autonomia para escolher se o conteúdo do seu livro sairá na íntegra ou se você irá editá-lo e remover algumas páginas. A Capa será exatamente da forma que você quer, é claro que o profissional que está trabalhando com você precisa estar apto a fazer o que você tem em mente. O formato do livro você é quem vai decidir, se gosta de um livro maior, poderá optar pelo formato 16x23, se prefere que seja algo menor, 14x21.
A diagramação, que é na minha concepção uma das melhores etapas do livro, tem a possibilidade do autor fazer o que quiser na abertura de capítulos, adicionar imagens, coisas extravagantes ou mais delicadas, não adicionar nada...
O tipo e o tamanho da fonte que será usada quem escolhe é o autor, ele é quem vai decidir o que mais o agrada. 
Ao terminar todo o processo do livro: parte escrita, revisão, diagramação... O autor irá escolher a gráfica que irá imprimir o tão sonhado livro, de acordo com o valor que for pago por unidade ele estipulará qual será o valor que o livro será vendido.
No entanto, com essa maravilhosa autonomia, há também muitas responsabilidades. Sem uma editora, seu trabalho será triplicado, porque você terá que aprender a fazer por si só todas as etapas do seu livro, ou então contratar um profissional que o faça por você
Após escrever seu livro ele precisará de algumas revisões, sim, uma revisão apenas não é o suficiente. Não haverá nenhum erro se mais de um profissional revisar? Muito provavelmente sim, porque ninguém é perfeito, todos são passíveis de erro, mas as chances de haver falhas grotescas na escrita será menor.
Às vezes, o próprio profissional que faz a revisão, realiza também o copidesque, que não é a mesma coisa que revisão, mas esse assunto fica para um outro momento. Em seguida é preciso fazer a diagramação, que é a apresentação do livro, portanto ela precisa ser bem feita.
O envio do livro é por conta do autor, o extravio do livro, é por conta do autor.
As divulgações do livro são todas por conta do autor, mas isso, independente se você tem ou não uma editora para trabalhar por você, porque ninguém divulgará seu trabalho com tanto afinco como você mesmo, porém, sendo autor independente o peso é bem maior.
Ter os serviços de uma editora é não “ter dor de cabeça”, até certo ponto, com todo o processo pelo qual o livro terá que passar.
Não ter os serviços de uma editora é quebrar a cabeça para dar conta de todo o trabalho sozinho.

Então vale ou não a pena ser autor independente?
Na minha concepção vale, porque de todas as formas você terá que investir financeiramente. Se você contrata os serviços de uma editora, terá que pagar por ele, se você é autor independente, precisará contratar profissionais e pagar a eles, portanto, você terá que gastar dinheiro em qualquer uma das situações.
Ser autor independente é ter a liberdade de produzir seu livro dentro do seu tempo. Certas editoras estipulam prazos para você entregar seu livro pronto, esteja ou não do seu agrado o conteúdo precisa ser entregue. Certas divulgações e promoções não podem ser feitas sem o consentimento da editora. No entanto, muitas coisas podem, de certa forma, serem feitas sem o seu consentimento. Além do valor que você efetua de pagamento pela prestação de serviço da editora, você ficará com o menor valor em porcentagem de vendas.
O autor independente tem uma caminho árduo a percorrer, além de enfrentar críticas de que “seu livro não é bom o bastante, por isso que nenhuma editora aceitou publicar”, ou, “você é autor independente então não merece minha credibilidade”... Entre outros absurdos. A questão é que muitos autores são independentes por opção. Meu livro foi aceito por pelo menos sete editoras, entre as quais, editoras de grande porte, mas devido ao alto investimento financeiro e a alguns fatores dos quais não abro mão, concluí que ser independente é a melhor opção. E que independente do que muitas pessoas dizem ou pensam, nós autores independente, trabalhamos muito e incansavelmente para “entregar” um livro de alta qualidade para nossos leitores.
Eu sou feliz e realizada em ser autora independente. Faço o que amo. E amo o que faço. E isso, ninguém pode tirar de mim.
Em resumo, que fique claro que essa é a minha concepção em relação a ser uma autora independente, de acordo com as minhas experiências e expectativas."

Espero que este post tenha ajudado quem queira saber mais sobre publicações independentes e por onde começar. 
Uma coisa que eu indicaria para qualquer autor, seja independente ou não, é ter uma leitora beta. Mas aquela leitora que vá realmente apontar todos os pontos que podem ser melhorados e as brechas no texto. O autor precisa ter alguém de confiança que vá ler e orientar sua obra!

Deixo aqui meu agradecimento a essas duas autoras por contarem suas experiências com publicação independente!

Estou pensando em trazer mais posts dentro dessa vertente, vocês gostariam? 

Beijos da Lice

14 comentários

  1. Muito legal essa matéria, show!!! É sempre bom ver o outro lado!!! Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Amei a matéria muito bem escrita, parabéns Lice arrasou.
    E parabéns também a Erika e a Jhey.
    Adorei mesmo

    ResponderExcluir
  3. Muito obrigada, Lice, pela oportunidade de compartilhar um pouco da minha experiência como escritora independente.
    Beijos 💖

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Acho que tudo no Brasil é muito difícil, as pessoas tem que batalhar muito para conseguir atingir o objetivo, com certeza com o mercado de publicações não seria diferente, né?
    Ai publicação independente se torna uma solução boa...
    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Olá, parabéns por trazer um tema tão importante. Eu concordo com o artigo, acho que vale a pena lançar um livro de forna independente, pois, hoje é possível contratar profissionais independentes a preços interessantes, e as demais coisas o próprio autor faz.
    Emerson Lemes.

    ResponderExcluir
  6. Oi Alice! Que post incrível. Eu tenho muitas amigas autoras que acabaram tomando o rumo do independente por alguns dos motivos citados na matéria. Muitas correm pro Wattpad até como forma de divulgação primária, pra Amazon, pelo retorno mais rápido. É complicado ver que o mercado é cruel com a maioria dos autores nacionais. Torço que essas ascensão dos independentes, a coisa comece a mudar de figura. Beijos
    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  7. Ser um autor independente te possibilita total liberdade, mas a responsabilidade triplica, parabéns pelo post❤️

    ResponderExcluir
  8. Oi Lice!!
    Eu tenho visto muitas autoras se arriscando a postar no Wattpad e Amazon por terem um retorno de leitura ou financeiro mais rápido. As vezes, eu acho que o mercado editorial não é muito bom com os nossos autores já que muitos não são publicados por editoras, principalmente as grandes. Achei importantíssimo você levantar essa questão, principalmente no momento que o mercado está passando.
    Bjs
    https://almde50tons.wordpress.com

    ResponderExcluir
  9. Recentemente uma amiga postou o dela lá no Amazon, nem todas tem dinheiro pra pagar uma editora o preço é muito alto, gostei bastante desse post e com certeza vai ajudar a muita pessoas que são escritoras(os) sonhadoras (as) com essa dica, pois pode ter que alguém não saiba como fazer isso.

    ResponderExcluir
  10. Seu post me tirou muitas dúvidas, achei bem interessante e anotei aqui porque vou precisar das dicas mais pra frente.

    ResponderExcluir
  11. Olá!

    É triste saber que o mercado editorial, às vezes, não dá o devido valor aos nossos autores nacionais. Olhando as dicas apresentadas pelas autoras, parece que lançar de forma independente, por mais que dê mais trabalho para o autor, dá mais autonomia para que ele faça tudo do jeito que ele quiser, sem ter que ficar seguindo regras ou padrões das editoras. Aí, vai da pessoa o que ela prefere na hora de lançar sua obra!

    Grande beijo,
    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  12. Olha, muito bacana o teu post Alice, é esclarecedor tb!
    Eu tb alguns projetos de livro em andamento e já me fiz está pergunta várias vezes. A verdade é que em qualquer dos casos, é necessário muito trabalho e ter uma boa $, então, qdo os meus livros estiverem prontos, acho que vou acabar optando por uma editora.
    Enfim... Obrigada pelas dicas!

    ResponderExcluir
  13. Resumindo... Oque move o mercado editorial é ter muito dinheiro. Quando eu comecei a ler livros não entendia TODA a comoção que era de ler lLivros de Escritores Brasileiros e o preço "salgado" que estava nas livrarias... A questão não é somente escrever é se envolver com TODO processo do livro para sair um trabalho bacana.

    bjos.

    ResponderExcluir
  14. Esse é o problema que os escritores brasileiros vem enfrentando. Existem tantas mentes brilhantes que não conseguem uma editora para ajudá-los a publicar seu livro então partem para a publicação independente. Isso é muito triste, pois leio direto as obras desses escritores que são fantásticas.

    ResponderExcluir