[Resenha] O Diário de Myriam - Myriam Rawick

Olá leitores,

Desde o lançamento deste livro que eu queria lê-lo. Nessa black friday finalmente comprei meu exemplar e devorei essas páginas. Então, precisava vim compartilhar com vocês tudo que senti com essa leitura. Só posso garantir uma coisa: é incrível!

O Diário de Myriam
Autora: Myriam Rawick
Páginas: 320
Editora: Darkside
Onde Comprar: Amazon
Nota: 
*Livro do acervo da blogueira
SINOPSE: "Meu nome é Myriam, eu tenho treze anos. Cresci em Jabal Saydé, o bairro de Alepo onde nasci. Um bairro que não existe mais." o Diário de Myriam é um registro comovente e verdadeiro sobre a Guerra Civil Síria. Escrito em colaboração com o jornalista francês Philippe Lobjois, que trabalhou ao lado de Myriam para enriquecer as memórias que ela coletou em seu diário, o livro descortina o cotidiano de uma comunidade de minoria cristã que sofre com o conflito através dos olhos de uma menina. Assim como acompanhamos a Segunda Guerra Mundial pelos olhos da pequena Ada em a Guerra que Salvou a Minha Vida e a Guerra que me Ensinou a Viver, o Diário de Myriam apresenta a perspectiva de uma menina que teve sua infância roubada ao crescer rodeada pelo sofrimento provocado pela Guerra da Síria, iniciada em 2011.
Em um relato emocionante, Myriam Rawick nos apresenta em seu diário como a Guerra Civil da Síria modificou sua vida e as consequências da mesma.
Os relatos começam aos 6 anos da garota e ao longo das páginas ela conta como é a vida com seus pais e sua irmã no bairro de Jabal Sayid.

Aos poucos a guerra vai começando e a vida de Myriam muda completamente. Ela precisa lidar com os barulhos de tiros, ficar alguns dias sem ir a escola, ficar sem luz e água, e aos poucos ficar sem alimentos. 
A guerra vai proguessivamente acabando com a vida que Myriam levava. No auge da guerra, ela vai perder familiares e vai precisar abandonar sua casa, já que seu bairro tinha sido tomado pelos rebeldes.

Myriam vai precisar sair de casa com apenas algumas mochilas e ficar um tempo ser ter um "lar próprio". Junto com sua família ela vai se mudar para uma casa sem energia elétrica e água, e lidar com a ameça dos aviões que trazem bombas constantemente.

Pelos olhos da pequena Myriam, veremos como as pessoas sofrem com esta guerra. 
Esse é um daqueles livros que fica entalado na garganta por muito tempo e que sentimos toda a angústia e dor da pequena Myriam.
A única coisa boa (se é que podemos usar a palavra "boa") em meio a essa guerra civil é perceber que mesmo com todas as dificuldades, Myriam não deixou de frequentar a escola quando possível e se importa com os seus estudos.

Myriam é um exemplo de esperança para quem ler a sua história. Os textos em seu diário tinham tudo para serem repletos de lamentações, mas ela escolheu apenas descrever seus dias e como tudo acontecia. Ela narra o medo dos aviões que trazem as bombas e dos tiroteiros. Ela mostra o que fazia junto com a sua família para tentar se proteger. Ela nos apresenta uma ingenuidade única, o que nos faz refletir sobre as nossas próprias ações.
Em ambiente caótico, a Myriam consegue enxergar momentos bons, e por que não conseguimos fazer isso vivendo um oposto dela?
"A guerra era minha infância destruída sob essas ruínas e fechada em uma caixinha"
Para quem não sabe, O diário de Anne frank é o meu livro preferido da vida, então eu possuía grandes expectativas no diário de Myriam, já que livros com a temática guerra sempre me impactam, e com este não foi diferente.
A principal diferença entre os dois livros, é que a Anne já tinha 13 anos quando começou a escrever em seu diário, então acompanhamos seus pensamentos mais "adultos". A Myriam começou a descrever os acontecimentos ainda criança, e quando finaliza é aos 12 anos, então é um texto bem mais "infantilizado". 

Além dos relatos de Myriam a cerca da guerra civil na Síria, também temos alguns outros textos no livro que servem para nos imergir no que está acontecendo na Síria. É um conflito intenso que já matou mais de 500 mil pessoas. A Guerra da Síria deixou de ser apenas uma guerra civil entre rebeldes e governo, e se tornou uma guerra de interesses mundialmente, o que só serve para aumentar a brutalidade da mesma.

A edição desse livro é maravilhosa. Ele foi publicado pela Darkside que é conhecida pela sua qualidade gráfica. No início temos um prefácio que já me fez derramar muitas lágrimas, além de cartas de alunos de uma escola que pediram o lançamento desse livro no Brasil. São cartas lindas e que me emocionaram por presenciar crianças querendo conhecer essa história, se importando com fatos importantes e com a leitura.
"Sei reconhecer as armas, sei reconhecer as bombas. Sei quando é preciso se esconder e como se deve esconder. Mas, principalmente sei o que é a morte."
Sem sombra de dúvidas foi um livro que ficou guardado no meu coração esse ano, e que está entre os melhores pela sua importância e tudo que me fez sentir.
Esse livro me levou a pesquisar mais sobre a guerra da Síria e penso em trazer um post aqui no blog sobre o assunto, pois é algo que precisa ser de conhecimento de todos. 

Myriam, uma garota de 13 anos, mas com tanto a mostrar. Ela inspira com seu diário e nos ensina a não reclamar de coisas bobas. O mundo precisa de mais Myrian's, assim como precisamos de mais Anne's. São pessoas como elas que fazem desse mundo um lugar melhor! Nos fazem enxergar esperança em um ambiente repleto de violência!

Beijos da Lice

11 comentários

  1. Que resenha linda Alice!
    Eu comprei ele em ebook e comecei a ler, mas deu uma pausa porque eu acho que entrei demais na história e fiquei meio perturbada.
    Quero muito terminar de ler, todo mundo que lê esse livro diz que é sensacional e a experiência é extremamente positiva sempre. E sem contar que o lugar, o jeito como ela escreve, é muito surreal.

    Adorei! <3

    ResponderExcluir
  2. Bela resenha.
    Uma amiga minha minha tinha questionado sobre este livro esses dias, pois ela tem interesse de comprar (acho que foi uma indireta pra dar rara).
    Já amei a história vou ver se compro pra ler e dou de presente 🤗❤️

    ResponderExcluir
  3. Boa resenha, bom livro. Gostei muito da premissa e da mensagem do livro. Quero ler.

    ResponderExcluir
  4. Oi Lice!!
    Eu li uma resenha desse livro, se não me engano no blog do Diego, e desde então estou louca por ele. Ao mesmo tempo eu estou com medo de morrer de chorar, pois esses livros sempre mexem muito comigo. Sua resenha só veio para completar meu interesse. Vou colocar na minha lista.
    Ótima resenha e obrigada pela dica!!
    Bjs
    almde50tons.wordpress.com

    ResponderExcluir
  5. Que fofura de capa, post resenha m,e prendeu com certeza!!!

    Bjs,

    https://keilycesporkeilaluciablog.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Oi Alice!

    Imagino o quão emocionante seja esse livro, saber mais sobre o cotidiano de uma família que vive em meio à guerra através da perspectiva de una criança deve ser uma experiência muito sensível.

    ResponderExcluir
  7. Menina,
    que tristeza, acho que eu não consigo ler um livro desses. Só de ler a resenha, lembrei do Diário de Anne Frank e meus olhos já encheram de água. Que coisa triste. Difícil pensar como uma criança pode estar no meio de tanta atrocidade...
    Agora, mesmo que não consiga ler, eu sei da importância de livros assim. Eles eternalizam atrocidades q poderiam ser apagadas pelas desgraças da guerra. Ainda mais na guerra da Síria! Um pvo q foi apagado, não só pela morte, mas pela incapacidade de falar (por não possuírem os meios de comunicações, restritos à grandes grupos e ao governo Sírio).
    Adorei a resenha. Belíssimo o texto. Belíssimo o livro.

    ResponderExcluir
  8. Olá, por se tratar de uma Guerra recente, presenciada por nós, o livro se torna ainda mais pessoal. Mas confesso que é algo difícil para mim. Aliás, para todos nós.
    Emerson Lemes.

    ResponderExcluir
  9. EU tenho muita vontade de ler esse livro,pois ele me recorda um pouco aquele "a guerra que mudou a minha vida" por terem pontos em comuns,e eu amei ele
    Imagino que essa leitura mexa um bocado com a gente por ter um assunto tão denso.

    ResponderExcluir
  10. Olá
    Amo relatos de guerra, em especial quando essa história é vista pelos olhos das crianças, normalmente ela passam mais esperança de que algo bom pode vir a seguir

    ResponderExcluir
  11. Oi Alice! Nossa, eu tenho muita vontade de ler esse livro. Desde que li uma resenha dele, me tocou de muita forma, até por me fazer pensar na Anne. Acho que ainda existe algo a mais, por falar da guerra na Síria, que é algo mais "constante" na nossa vida. Sua resenha só me deixou mais curiosa para ler. Beijos
    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderExcluir