[Resenha] Quando dizem que o amor morreu - Lucas Walker

Olá leitores,

Quem me conhece sabe que sou apaixonada por poesias, inclusive escrevia vários na adolescência. Fazia um tempão que não lia um livro com poesia e ao ler um semana passada me apaixonei, e lembrei o motivo por amar o gênero. Espero que gostem de conhecer!

Quando dizem que o amor morreu
Autor: Lucas Walker
Páginas: 100
Editora: Kazuá
Onde Comprar: Editora Kazuá
Nota: 
*Livro cedido pela Editora
SINOPSE: Em “Quando dizem que o Amor morreu”, o autor Lucas Walker consegue ir a fundo na construção da estrutura singular do eu-lírico – de seus sentimentos, desejos, medos e inseguranças, e todo o processo doloroso de escolhas – conflitando diretamente com a diversidade e singularidade de outras pessoas. Lucas transcreve em seus versos essas complexas relações de interatividade, e cria um labirinto de profundos questionamentos entre a lucidez e a loucura, verdade e ilusão, real e imaginário.

Em "Quando dizem que o amor morreu" temos uma coletânea de poesias profundas, que conseguem mexer com os nossos sentimentos, por toda a carga emocional que se encontra em cada uma delas.

O eu-lírico é forte e consegue nos levar a um passeio por nossas próprias angústias e amores que findaram. 
Com a intensidade em suas palavras, viajei pelos meus relacionamentos que não deram certo, pelo "sofrimento" que senti e a tristeza que muitas vezes me acompanhou.
" — Você disse que já se machucou muito, mas eu não vejo cicatrizes.
— Meu bem, algumas ficam dentro da pele."
O autor foi certeiro ao demonstrar a dor de um coração partido e como ele nos afeta, nos desmonta e nos enriquece com experiências.
Nossas maiores cicatrizes não são as expostas, mas aquelas que guardamos em nossa alma, que nos consomem por dentro.
"Não me dou bem com despedidas
Últimos abraços, beijos de adeus
Difícil aceitar o fim
E tudo que ele prometeu"
Além da dor excruciante do amor que se findou, o autor traz nas entrelinhas de suas poesias alguns outros temas.
Relacionamentos que acabam sendo sufocados pela imposição do outro que busca atenção, o amor próprio que muitas vezes nos falta e o medo de outros relacionamentos.
"Matou quem mais amava
Por não deixá-la respirar sozinha"
A escrita do autor é deliciosa, e como o livro curtinho, é daqueles que você devora em uma sentada, conseguindo absorver tudo que foi lido.
Quanto a edição, é muito boa. A Kazuá fez um belo trabalho com a capa, que é delicada e passa bem o sinônimo de companheirismo, ajuda mútua. Por dentro, cada poesia está em uma página e apesar de simples, foi tudo bem feito. 
"Não se dê o trabalho
de se hospedar
Num corpo vazio
Onde o anfitrião abriga
Com o único objetivo
De colocá-la como decoração"
"Em busca do corpo perfeito
Esqueceu o seu.
Em busca de um amor
Esqueceu o próprio"
Apenas se permitam ler e sentir toda a magnitude das palavras escritas... Vale a pena!

Beijos da Lice

9 comentários

  1. Adoro a forma como fazes resenhas literárias, análises profundas de um livro e das suas mensagens.
    Não é fácil fazê-lo:-)
    Gostei.

    ResponderExcluir
  2. Não conheço o livro, mas sua resenha me deixou muito, muito curiosa. Parabéns pela forma como escreve, é incrível e eu já anotei aqui o nome pra procurar o meu exemplar ♥

    ResponderExcluir
  3. Que livro!!! É maravilhoso quando a gente descobre os próprios sentimentos em palavras alheias, e me parece ser esse o caso do livro citado. Já quero ele pra mim, só pelas citações que você fez, já tô apaixonada.
    Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
  4. Oi Alice,

    Nossa! Tô arrepiada com as partes do livro que você colocou. Deve ser uma leitura incrível. Eu não sou fã de poesias, mas eu fiquei com muita vontade de ler esse livro. Parece ser uma desconstrução necessária a todos.
    Adorei a resenha! Como sempre ;)

    Grande beijo,
    Letícia Franca | Além de 50 Tons
    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  5. Eu também adoro poesia, é um formato de escrita que em poucas palavras consegue ir fundo ao coração. Esse livro parece ser de uma delicadeza ímpar, com nuances românticas acentuadas, o que me agrada bastante.

    ResponderExcluir
  6. Sou super suspeita para falar de poesias, poemas e reflexões. Fiquei motivada à ler. Só pelo que destacou aqui sinto meu coração quentinho. ❤️

    ResponderExcluir
  7. olá!
    Não conhecia este livro, mas adoro poesias. E pelos trechos que você colocou, com certeza vou amar!
    Ameia resenha e a dica!
    Abraços.

    ResponderExcluir
  8. Eu li esse livro em 2 dias, adoro livro curtinho como esse. Achei a leitura deliciosa e sua resenha como sera muito bem escrita.

    ResponderExcluir
  9. Oi Lice!!
    Eu não sou muito de ler coletâneas de poesias, mas adorei as partes que você destacou na sua resenha. Uma coisa que sempre me chama atenção em poemas e poesias é a intensidade de sentimentos nos textos. Eu bem que deveria ler mais, mas não é muito a minha praia.
    Ótima resenha e fotos lindas e delicadas.
    Bjs
    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderExcluir