[Resenha] Freud Me Ajude! - Sinéia Rangel

Olá leitores,

Hoje é mais um daqueles dias que escrever uma resenha se torna difícil. Quem acompanha o blog, sabe que normalmente é assim quando venho resenhar um livro da Sinéia. 
Conheci a autora ano passado e já li todas as obras delas. Esse foi mais um livro que li antes do lançamento e estava ansiosa para finalmente vim compartilhar com vocês. Que Freud me ajude a terminar essa resenha, pois será difícil!

Freud me ajude!
Autora: Sinéia Rangel
Páginas: 365
Editora: Independente
Onde Comprar: Amazon
Nota: 
*E-book cedido pela autora
SINOPSE: Aos olhos dos outros, Catarina Albuquerque é uma mulher superficial e egoísta. À primeira vista, ninguém saberia a profundidade das suas angústias.
Intimada por seu pai para voltar ao Brasil, ela não sabia o que a esperava quando chegou ao haras, no interior da Bahia. Percebeu que a sua estadia seria tão complicada quanto emocionante ao conhecer Vítor Lobato. Um peão chucro, rude e com quem teria que aprender a conviver.
Ela tem um ano. Exatos 365 dias para provar que pode enfrentar os seus fantasmas e assumir as rédeas da sua vida. Então poderá decidir-se entre ir embora ou ficar.
Que Freud a ajude!
Catarina Albuquerque está de volta ao Brasil depois de 15 anos com vindas esporádicas ao país. Ela é uma mulher que pode ser considerada fútil, egoísta e consumista, visto que tem uma vasta coleção de roupas e sapatos. 

Sua volta se deve a uma intimação do seu pai. Ao chegar ao haras que ele comanda no interior da Bahia, ela vai se deparar com uma casa simples e com a percepção de que não existe muitas coisas naquela pequena cidade.
Nos seus primeiros momentos no lugar, ela já vai lidar com as diferenças da cidade grande e também com peões de tirar o fôlego, Vítor e Rubens. 
"O peão era um atentado à moral e bons costumes e ficava ruborizado tão facilmente, aquilo era um contrassenso"
O pai de Catarina a fez voltar ao Brasil, porque deseja que a filha deixe a solidão que a acompanha, seja em Los Angeles ou nas viagens que faz pelo mundo. 
Catarina nasceu de um relacionamento permeado por amor, mas que infelizmente tinha muitas pessoas contra, pois era uma jovem negra filha da empregada com o filho do patrão branco. O avô paterno dela separou o filho do grande amor, e quando o pai dela as encontrou, sua mãe já estava muito doente. Dois anos depois, a mãe dela faleceu. E aos dezessete anos, Catarina foi embora do Brasil.

Seu pai lhe dar um ultimato. Catarina precisará passar 1 ano no haras, caso contrário todos os cartões e regalias dela serão retirados. Como Catarina não exerce a profissão de psicóloga e sabe que precisa do dinheiro do pai para manter sua vida, ela topa o desafio e começa a enfrentar todos os seus medos de cabeça.
"O que nos diferencia é o motivo que nos fez escolher a solidão. Alguns de nós a quer por motivos egoístas, outros por razões altruístas, outros porque não sabem se estão prontos para dedicar-se a outra pessoa ou não a encontraram"
Catarina não é a garota fútil que muitos pensam. E naquele ambiente, ela vai descobrir mais de si mesma e da vida do que gostaria.
Vítor Lobato, o peão chucro com quem passa a conviver vai despertar sentimentos nela. E lidar com este sentimento será o desafio de Catarina. Para quem não pode se envolver com alguém e que deseja a solidão, ela não está no caminho que desejava.

Talvez o destino tenha outras opções para a jovem Albuquerque...
Quando a Sinéia anunciou que este seria um romance "fofo", eu não acreditei. Tenho experiências demais com a escrita dela para saber que ela SEMPRE vai abordar um tema que irá me deixar impactada. E eu estava certa, porque Freud me ajude! está longe de ser apenas um romance regionalista. 

Catarina poderia ser uma personagem que causa raiva nos leitores por causa de seu jeito fútil e consumista, mas ela passa longe disso. A Catarina é uma pessoa com feridas demais em sua vida, e ela tem um motivo para afastar todos e optar pela reclusão de Los Angeles ou das viagens que faz pelo mundo. Catarina tem seus demônios para lidar e não deseja colocar ninguém no meio deles.
"Você sobrevive, Cath. Quero que você viva"
Vítor é o típico moço do interior. Muitas vezes ele pode aparentar ser chucro, mas possui um coração enorme, então se prepare para suspirar e muito com este peão.
Catarina vai chegar para mudar o rumo da vida dele, e alguns outros acontecimentos mudarão ainda mais tudo. Vítor me conquistou por completo e em vários momentos eu só pensava que queria uma Vítor pra mim, de preferência na minha cama.

A irmã dele, Nina, é uma jovem que passou um tempo fora fazendo faculdade de enfermagem, que foi paga graças aos rodeios e vaquejadas do irmão. Para uma moça do interior, ela é bem firme em suas decisões e sabe se impor. Ela tem uma queda (ou um morro inteiro) por Rubens, amigo de Vítor. 
Rubinho, assim como Vítor, atrai olhares por onde passa. Cresceu achando que Nina era só uma menina, mas enfim percebeu a bela moça que ela se transformou.
"Você é linda como uma noite estrelada, quente como o sol e faceira como a lua. Olho para você e quero te tomar nos meus braços. Sou grosso pru mode que é o único jeito de não deixar ninguém ver que o peão caiu no laço"
Alguns outros personagens entram na trama, mas vocês precisarão ler para conhecê-los, só garanto que vale a pena...
Este livro é um romance regionalista, visto que se passa no interior da Bahia e possui o vocabulário local.
A Sinéia usou muitas características linguísticas da região, e eu, como uma boa moradora do interior do nordeste, posso afirmar que o trabalho está incrível.

O que mais admiro na Sinéia é que ela se preocupa com seus leitores. Para cada palavra típica utilizada, ela colocou o seu significado, então só para fazer esta parte, ela já teve um enorme trabalho.
Sou suspeita para falar de narrativas regionais, porque adoro ver meus "arre égua" ou "vixe" sendo utilizados em uma obra de forma tão significativa.

O romance também pode ser considerado interracial, mas não foquei nesta parte da narrativa e creio que a Sinéia também não queira que esse seja o foco. É fato que temos muitos poucos romances interraciais na literatura, mas tratar isto como "diferente" não é o caminho certo, pois deveria ser o normal.

A obra é dividida em quatro partes. Nas Parte I e II vamos acompanhar esta adaptação da Cath a seu novo mundo, e o desenvolvimento de seu relacionamento com o Vítor. As Parte III e IV são mais dolorosas, são nelas que você está propício a derramar algumas lágrimas (no meu caso, muitas) e que perceberá que não é apenas um romance.
"A minha vida é cheia de limitações e não vou arrastar ninguém comigo"
A Sinéia não foi para um caminho óbvio e amei isto. Fiquei tão feliz ao perceber o caminho que ela deu ao enredo.
Só posso te dizer que você vai amar o Vítor na Parte II, que seu coração vai se encher de medo, dúvidas e certezas. Só se prepare, pois esse não é um romance de conto de fadas, é um romance real, com erros e acertos, sorrisos e lágrimas.

Um dos temas abordados pela Sinéia é o consumismo. A Catarina compra descontroladamente, mas ela apenas coloca nas roupas e sapatos, toda a frustração que existe dentro dela. Comprar virou sinônimo de tentar remendar os seus pedaços, é comprando que ela tem alguns minutos de felicidade. 

É claro que ela não aborda apenas este tema. A autora vai abordar um tema que ainda não havia visto sendo explorado na literatura, mas não posso adentrar nele, pois seria um spoiler
O que posso afirmar, é que houve muita pesquisa acerca disto e ela nos presenteia com uma realidade dolorosa. 
"Amar não é sobre encontrar-se, é sobre perder-se no outro. E quando nos perdemos é difícil achar o caminho de volta"
Freud me ajude! é um livro intenso, honesto, original e sobre amor. Trazendo à tona um tema importante, vamos embarcar nas dúvidas e anseios de Catarina e Vítor. Você sente o medo e os desejos, e torce para que tudo acabe bem. Você gargalha, mas também chora. Você cai com eles e levanta.
Esses personagens vão te ensinar a ter esperança, a não desistir e te desprender das suas amarras e receios. 
Se impedir de viver por causa do medo do futuro é o mesmo que desistir de viver. Catarina precisará voltar a viver e talvez um peão chucro seja o responsável por trazê-la de volta. O amor pode mudar caminhos e construir pontes inimagináveis. 
O bolo de fubá de Dona Mirna está te esperando, então tome tento e vá conhecer esta história. E que Freud te ajude a chegar inteiro ao final...

Beijos da Lice

16 comentários

  1. Como a gente fica depois dessa resenha?
    Não sei se choro ,sorrio ou compro uma passagem área e vou aí te encher de beijos. Obrigada,Lice!

    ResponderExcluir

  2. Um passado doloroso trás consigo feridas difíceis de se cicatrizar. Fiquei curiosa para saber que fantasmas espremem Catarina em suas angústias e frustrações.
    Eu gostaria de ter tanto dinheiro quanto livros em minhas listas! Kkkkk Gostei muito da resenha, você sempre tem ótimas sugestões.
    Bjoo. :)

    ResponderExcluir
  3. Tudo bem?
    Não conhecia esse livro, é a primeira vez que o vejo. Achei a premissa bastante interessante, estou muito curiosa pelo desenrolar e por saber tudo sobre Catarina...
    Livros assim trazem uma carga de reflexões muito importantes e interessantes.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. É um romance psicológico, pelo que entendi. Eu não conhecia a autora, mas já gostei. Hoje mesmo vou procura-la na amazon. Ele me lembrou um pouco um livro da Kristin Hanna que li, as cores da vida. Você deixou a resenha envolvente e gosto disto. Obrigada.

    ResponderExcluir
  5. Olá. Primeiro que maravilhoso ver uma obra nacional sendo descrita com tanta solidez. Gostei especialmente, do roteiro ter como local o nordeste, também sou nordestina e acho maravilhoso que trabalhe a regionalidade. Sobre a história, um romance que trabalha os medos e aos sentimentos que costumamos não encarar, segue a linha dos outros, mas ao mesmo tempo, acredito que a autora procura temas especiais para mudar isso, como o consumismo, e acredito que outros. Espero poder ler. Fiquei curiosa quanto aos temas... abraços !

    ResponderExcluir
  6. Me parece aqueles dramas psicológico. Eu não sou fã de romance ainda mais de época, mas acho importante apoiar os nossos autores, ainda mais uma autora nordestina.
    Com carinho Renata Prado | LuArtico |

    ResponderExcluir
  7. Não faz o meu gênero de leitura. Mas pelo que li, parece ser interessante.

    Cumprimentos de Portugal
    Os Piruças

    ResponderExcluir
  8. Acho que só li um livro com autor nordestino (que eu saiba), mas eu adorei muito. Os nordestinos tem um eito intenso de escrever né?
    Gostei da ideia do livro, gosto de dramas psicológicos.

    Adorei a resenha e as fotos ficaram lindaaaaas!!!!

    ResponderExcluir
  9. Todos temos uma história, uns com um passado de alegrias, outros com passado de dor, mas o que importa é o presente e os planos que fazemos para o futuro. Torço para que a personagem vença todos os desafios, supere sua própria história e se permita a um futuro diferente.
    Ótima sugestão!
    Abraços! 😊

    ResponderExcluir
  10. Leitores nacionais... Sou bairrista mesmo! kkk
    Sou Psicóloga, e adoro esses dramas psicológicos dos personagens e a capa desse livro? e citar o nosso querido Freud! quero esse livro na minha estante para ontem.

    https://ladomilla.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Oi Alice! Que resenha maravilhosa. Fiquei com vontade de sair correndo e ir comprar o livro. Achei mt legal ela trazer um livro no interior de um estado do Nordeste, coisa que eu nunca tinha visto. Além disso, fiquei mt interessada em ver o relacionamento de Catarina com o pai e como uma pessoa como ela vai lidar com uma cidade pequena. Claaaaaaro, que eu fiquei hiper curiosa com o tema pouco explorado que ela usou. To quase pedindo spoiler hahaha
    Amei e quero ler! Beijos
    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  12. Olá Alice tudo bem??
    Este é um tipo de livro que aborda um um tema excelente e com certeza vai para a minha lista para le -lo em breve
    www.robsondemorais.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Oi Alice,

    Ai, tantos pontos que quero comentar dessa resenha rs, mas vou falar apenas dois:
    Primeiro, preciso falar que, conforme eu fui lendo já fiquei com o pé atrás com a Catarina pois me passou a impressão de ela ser uma personagem fútil mesmo. Mas quando cheguei na parte que você diz que ela não é o que todos pensam (inclusive, eu rs), fiquei mais aliviada.
    Segundo, essa parte do regionalismo geralmente me faz desistir da leitura, infelizmente. Não sei porquê, mas isso me trava quando acontece. Mas fiquei feliz de saber que a autora teve esse cuidado com o leitor. Não é a toa que você é tão fã dela, né?
    Fiquei morrendo de vontade de ler e saber mais sobre a história da Catarina com o Vitor, e também do Rubinho com a Nina rs... curiosa pra saber como tudo se desenrola.
    Enfim, vou parar por aqui pra não correr o risco de fazer uma resenha da sua resenha kkkk
    Adorei a dica!!

    Grande beijo,
    Letícia Franca | Além de 50 Tons
    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  14. Olá!! :)

    Eu confesso que nao conhecia este livro ainda, mas a verdade e que fico curioso quanto ao que ele contem!! :P

    Enfim, quero muito ler e descobrir todos esses ensinamentos deixados pelas personagens, especialmente numa historia tao intensa!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  15. geralmente eu gosto de romances regionalistas mas a premissa desse, pelo menos pra mim, soou clichê...
    mas fico feliz que a obra tenha te encantado... achei legal essa inserção de expressões nordestinas, bem como a ambientação... tbm sou do nordeste hehehe

    bjs

    ResponderExcluir
  16. Oi Oi!
    Primeiramente, que resenha maravilhosa. Deu pra sentir o quanto esse livro mexeu contigo. Pensei que ele abordaria mais o lado psiquiátrico e tals. Mas saber que ela é Psicóloga, me deixou com vontade de ler. Nunca tinha visto nenhum livro dessa autora e gostei muito de tudo que vi aqui.
    E sobre a solidão da personagem, ela decidiu levar a vida mais pro lado da solidão mesmo ou solitude? Porque tem tanta gente que confunde.
    Enfim, parabéns!!

    Beijinhos
    www.utopiavk.blogspot.com

    ResponderExcluir