[Resenha] Espelho, espelho meu. Qual crush escolho eu? - Priscila Debly

Olá crushes, tudo bem?

A resenha de hoje é de um desses livrinhos que acabamos rapidinho e que no fim ficamos refletindo sobre a obra. Pois, o conteúdo é bem mais reflexivo do que se possa imaginar.

Espelho, espelho meu. Qual crush escolho eu?
Autora: Priscila Debly
Páginas: 200
Editora: Coerência
Onde Comprar: Editora Coerência / Saraiva
Nota: 
*E-book cedido pela Editora
SINOPSE:
Anabelle conta sua história do abandono na infância e encontra na dança o alívio necessário para fazer sua subconsciência falar mais alto enquanto capta o mistério da alma humana. Aos dezoito anos, se sente à flor da pele, perdidamente apaixonada por dois jovens que são capazes de despertar desejo e amor em qualquer moça. Na dúvida entre seus dois crushs, ela não consegue escolher entre o loiro de olhos azuis que conquistou uma frota de admiradoras e o dono do sorriso mais encantador que já viu, um rapaz sedutor e forte.
O verão que passou ao lado de um de seus amores ainda desperta arrepios na jovem. Anabelle se lembra de que não foi apenas o clima quente que os fez fervilhar. A lembrança dos dois corpos em ebulição, do suor escorrendo e dos peitos prestes a explodir ainda a faz sentir como se estivesse lendo um livro do qual não quer conhecer o final, parar de ler.
Hoje, sua autoestima oscila cada vez mais para baixo. Nessa jornada, ela luta por sua libertação e pelo feminismo. Mas será que terá forças para encarar seu destino? Quem será o crush do espelho?

Anabelle é uma jovem de 18 anos que vive todos os sentimentos e complexidade de uma mulher. Ela é apaixonada pela dança, que é uma parte vital de sua vida.
Ela já passou por momentos complicados, sua infância foi banhada por presenciar cenas em que seu "pai" espancava sua mãe. A alma de Anabelle guarda muitas coisas em seu âmago.

Depois de deixar seu passado para longe, ela conseguiu, aparentemente, seguir em frente. Ela divide um quarto de uma kitnet com Sofia desde que chegou em São Paulo, e além dela, tem apenas sua gata Rajada como companheira.
Seus dias são divididos entre seu emprego e a faculdade de Direito. No local, ela não se encaixava nos grupos existentes, era claramente uma "deslocada".
"O egoísmo e as ambições humanas, apenas nos afastam de um mundo igualitário"
Certo dia, ela presenciou uma manifestação nas ruas. Onde uma multidão batia de frente com os policiais. No meio da algazarra ela encontrou um garoto loiro de olhos azuis, que frequentava Direito em sua faculdade. Logo depois, ela o encontrou nos corredores da faculdade, ele se destaca jogando vôlei, o nome dele era Phillipe.

Ana também vai acabar encontrando Daniel, um negro lindo, que possui um sorriso estonteante, que era um estudante de Filosofia. Seu encontro com ele, foi como se já tivessem se conhecido de outras vidas, a amizade foi instantânea. 
E assim, em meio a um loiro e um negro, ela viverá as confusões dentro de si.
Esse livro me surpreendeu com seu final. Quando vi o título imaginei que se trataria de um chick lit, mas a história é bem mais profunda do que aparenta.
Então, não julguem esse livro por seu título, pois a profundidade das questões levantadas e seu desfecho consegue deixar o leitor boquiaberto.

A Anabelle é uma personagem complexa. De início ela aparenta ser apenas uma jovem que teve uma infância conturbada, mas que estava vivendo um momento de confusão e entre dos possíveis amores. Essa visão dela será a que teremos na maior parte do livro, mas não pensem que ela é apenas isso.
Phillipe e Daniel também não são apenas o que aparentam ser, e isso foi o mais bacana. Phillipe me surpreendeu por suas atitudes. Definitivamente, ele não é apenas o playboy famosinho da faculdade, ele me conquistou no decorrer das páginas.
"Nos tiraram o direito de ser. De sermos nós mesmos e felizes assim. Nos tiraram, também, o direito de não ser. De não sermos vazios, de não sermos mais capazes de caber em nós mesmos"
Um dos fatos mais bacanas, é que a autora conseguiu colocar algumas críticas embutidas na história. os alunos da faculdade estão fazendo manifestos para reivindicar assuntos polêmicos e democráticos, e isto nos lembra as últimas manifestações que ocorreram no país. Muito bacana trazer este assunto à tona e colocar em pauta. 

Durante a narrativa, teremos alguns anos mais a frente, o que faz com que não tenhamos apenas os personagens nessa fase jovem.
Como o livro é curtinho, senti falta da autora desenvolver melhor as cenas finais, mas não é algo que irá atrapalhar a narrativa construída.
O final é espetacular. Tem tantas reflexões embutidas nas últimas cenas, que é impossível não refazer a história da personagem para compreender tudo que foi lido. É um processo de ler as entrelinhas, pois o maior objetivo da obra está nelas.

Espelho, espelho meu. Qual crush escolho eu? não é um livro ou até mesmo bobinho. Não imagine que será uma história de uma menina dividida entre dois caras. Há mais do que isso e se você se permitir ler com a alma, entenderá sua grandiosidade. Realidade e ficção andam lado a lado, e mergulhar em um deles pode ser um caminho sem volta...

Beijos da Lice

14 comentários

  1. Acho que a surpresa que você deve ter sentido lendo o livro foi a que eu senti lendo sua resenha. Pela sinopse, imaginei que seria mais uma história de uma mocinha com traumas em sua história de vida, em dúvida entre dois possíveis amores. Mas me surpreendi demais ao ver a dimensão política que o livro tem, além de ser um livro que desperta muitas reflexões. Interessante como nem a sinopse e muito menos o título indicam isso...

    Ensaio Aberto | Teofilo Tostes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E não é só a dimensão política que surpreende o leitor, tem muitos outros acontecimentos, que infelizmente não posso explorar, ou seriam spoilers.

      Excluir
  2. cara, que surpreendente! quando vim ver o post julguei demais pelo titulo mas acabei que adorei, achei linda a sua resenha, se eu visse um livro com essa capa nunca na vida que iria imaginar que ele aborda tantos temas legais, inclusive bem legal isso da abordagem politica, gostei muito.

    Sempre me surpreendo quando venho aqui!
    Parabéns

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, fico feliz que se surpreenda com o conteúdo. A capa e título realmente não conseguem abarcar toda a carga que a obra traz!

      Excluir
  3. Olá!

    Amei essa capa, gosto de livros assim, a pesar de o título já me deixa meia receosa em ler por aparentar ser algo em conto de fada e tals.... Entretanto adorei sua resenha, e irei ver mais sobre ele.


    bjbj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem nada de conto de fadas, disso você pode ter certeza. É uma excelente obra!

      Excluir
  4. Analisar do ponto de vista mais intenso é o que torna a leitura mais satisfatória. Achei a premissa bem interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza é o que torna mais satisfatório. É um livro muito bom!

      Excluir
  5. Olá
    Bem interessante essa pegada mais social no plano de fundo, mas o livro junta duas coisas que estou dando um tempo que é ambiente escolar e triângulo amoroso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro não se passa no ambiente escolar, durante a narrativa ele dá uma pulada de anos e aborda os personagens mais adultos. E o triângulo não vai atrapalhar, isso garanto!

      Excluir
  6. Olá
    Bem interessante essa pegada mais social no plano de fundo, mas infelizmente o livro junta duas coisas que estou dando um tempo que são os ambientes escolares e os triângulos amorosos.

    ResponderExcluir
  7. Que resenha incrível! Adorei sua escrita, de verdade. A obra parece ser bem interessante justamente pelo salto temporal!

    ResponderExcluir
  8. Oi Lice, sua linda, tudo bem?
    Acho que vou ser repetitiva, mas não posso deixar de comentar também, porque é difícil ver um romance ambientado na universidade trazendo os jovens lutando por questões que acreditam e que são importantes para todos. Foi o diferencial que chamou minha atenção. Vou anotar na minha lista. Espero poder ler em breve. Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  9. Olá, Alice, tudo bem?
    Obrigada pela sua resenha... Eu fico muito feliz em poder compartilhar aqui minhas emoções ao ler essa excelente escrita sua. Já adianto que o título e capa foi criado com intuito de capturar as adolescentes e jovens nas escolas, pois como faço palestras e visito escolas meus livros circulam com mais facilidade lá e desperta maior interesse neles. Acredito que muitas pessoas que já são leitoras maduras, vorazes e críticas julgam o livro pela capa (Risos...) Já me acostumei com isso. Mas como disse, a capa e título tem outro objetivo: principalmente num Brasil com índice de leitores escassos entre os adolescentes/jovens...
    Obrigada pelo carinho!! Você é incrível com todas as suas resenhas <3
    Um beijo!
    Pri
    Meu ig: @prisciladqt

    ResponderExcluir