[Resenha] Doce Amargo #1 - Evelyn Santana

Olá docinhos, tudo bem?

Fim de semana passado mostrei nos stories do instagram (quem não me segue, passa lá: @gnomaleitora) que estava fazendo a leitura de "Doce Amargo #1". Comecei em uma madrugada e finalizei no outro dia. Foi um livro que me fez vivenciar muitos sentimentos e vou contar todos eles hoje para vocês.

Doce Amargo #1
Autora: Evelyn Santana
Páginas: 448
Editora: Coerência
Onde Comprar: Amazon / Saraiva
Nota: 
*Livro em parceria com a Autora
SINOPSE: Quantas vezes um coração pode ser machucado antes de deixar de amar?
Melinda é uma garota que não conhece suas origens, tendo sido abandonada com pouco dias de vida em um orfanato, onde se apaixona por uma ilusão, um rosto em uma foto no jornal: Robert Blackwell, um promissor empresário que fez uma doação para o orfanato onde ela morava.
Anos mais tarde, Linda consegue se reerguer, estudar e garantir um bom emprego na empresa de Robert.
Um acidente faz com que se encontrem. A ganância dele os aproxima. E o amor sela tudo.

Melinda Calle é uma jovem que cresceu entre o orfanato e lares adotivos temporários. Ela não conhece as suas origens, mas pelos seus traços, tudo indica que ela tem ascendência latina.
Aos 17 anos, o orfanato que morava recebeu uma doação que mudou o Natal de todos naquele ano. O doador era Robert Blackwell, e quando Melinda viu a foto dele no jornal, se apaixonou.

Agora, 7 anos depois, Linda trabalha no setor contábil da R Blackwell Corporation, e sua amiga Christine tenta convencê-la a sair mais. Linda nunca beijou um homem e ainda é virgem, estava se guardando para o cara certo. Ela tinha repulsa do toque de homens, pois quando fugiu do orfanato em que vivia, quase foi violentada.
Linda vive reclusa em seu mundo, saindo apenas para o trabalho ou para a casa de seus vizinhos, os González.
"Robert não estava interessado apenas em me levar para cama. Eu tinha algo de que ele precisava, só não sabia o quê"
Em paralelo temos Robert Blackwell, um homem que construiu seu próprio negócio de sucesso. Ele é do tipo que tem apenas transas, nunca fica para partilhar a cama com a garota da noite e não está interessado em um relacionamento.
Na verdade, Robert traz consigo alguns traumas do passado. Seu irmão gêmeo, Matthew, sempre foi o filho preferido de seu pai, Frederick, e quando o garoto de 8 anos se afogou no mar e morreu, seu pai condenou-o. Ainda garoto, ele foi mandado para um colégio interno.
Aos 18 anos, Robert descobriu que o pai tinha dois filhos bastardos e nesta época sua mãe estava com uma grave depressão, que agravou-se quando ela também descobriu os filhos do marido. Logo depois, ela faleceu.

Robert e Frederick viviam praticamente em guerra. Ele não fazia nada do que o pai desejava, criava suas próprias regras e vivia à sua maneira. E foi assim que ele construiu seu próprio império, sem nunca se render aos desejos de seu pai.
Seu pai tinha falecido a um mês, Robert estava prestes a conhecer o testamento deixado pelo homem e aquilo estava o consumindo.

Quando estava indo para a reunião onde teria conhecimento do testamento do pai, Robert atropelou uma garota. A garota em questão era Melinda. O homem logo mostrou um jeito rude e impositor, e mesmo ela alegando que estava tudo bem, levou-a ao médico para ser examinada. Ele logo descobriu que ela trabalhava em sua empresa e isto não diminuiu as suas grosserias para com ela. Naquele incidente, um pouco da fantasia de Melinda foi desfeita, o homem que ela sonhara por tanto tempo era um bruto.
"Não precisa ter medo ao entregar seu coração nas mãos dela, porque não há um lugar mais seguro para ele... um lugar mais certo"
No dia seguinte, na leitura do testamento, Robert teve a maior surpresa de sua vida. Seu pai havia colocado uma cláusula que deixava claro que ele só receberia a empresa e a mansão que foi da mãe, se subisse no altar em até 3 meses e o divórcio não poderia partir dele. Caso negasse se casar, a empresa e a mansão iriam para a amante do pai. Robert não deixaria isto acontecer em memória a sua mãe, então precisava arrumar uma esposa, mas teria que ser alguém que não se encaixasse nos "padrões" que Frederick teria aprovado.

Quando se depara com Linda no corredor da empresa, Robert tem a pretendente perfeita à sua frente. Ela tem traços latinos, não foi criada em berço de ouro e ainda era bonita. Uma mulher como ela se transformando em uma Blackwell causaria revolta em seu falecido pai.
Assim, Robert começa a sua jornada em conquistar Linda e torná-la sua esposa. É claro que depois iriam se separar, ele iria fazer com que ela pedisse o divórcio.

Porém, o destino tinha outros planos para Robert e a sua convivência com Linda lhe mostrará o quanto ela é boa demais para viver uma falsidade.
O que acontecerá com os dois?
Antes de qualquer coisa, fiquem ciente de o que narrei anteriormente ocorre logo nas primeiras 45 páginas do livro, então não é spoiler, é apenas o início da obra e muita coisa vai acontecer.

Quando comecei a ler a obra, imaginava que seria mais uma história de um CEO com uma funcionária, mas fui surpreendida.
Ambos possuem traumas do passado que interferem diretamente na forma como levam a vida atualmente.

Robert Blackweel me causou raiva em boa parte do livro. Em vários momentos ele é abusivo em relação a Linda, o que é um reflexo do tratamento que ele recebia do pai. O fato dele a usar deliberadamente me causou ânsia. Porém, aos poucos, ele vai percebendo que Linda não é como qualquer outra mulher, ela seria seu desejo, se ele fosse alguém digno.
"Há uma parte minha que eu desejo que você jamais conheça, porque ela definitivamente não é boa. Também não sou um príncipe encantado, ou o cara certo. Na verdade, sou o oposto disso, mas eu quero você, e sei que também me quer"
Melinda me encantou desde o início. Ela cresceu sem família, sem apoio, sem ninguém. Tudo que ela tem foi graças ao seu esforço e força de vontade. A sua paixão de adolescência pelo Robert me incomodou no início, mas ela mostra o quanto a Linda é ingênua em relação a vida. Um fato que adorei é que, mesmo tendo essa paixão por ele, ela não vai tornar fácil o processo de conquista. Ela tem noção de que Robert é seu chefe e ela uma mísera funcionária. Por que ele escolheria logo ela?

Ao longo do livro vamos conhecer a irmã do Robert, Elizabeth. A jovem sempre tenta trazer o irmão para a família, mas ele tem compromissos demais. Mas, a filha dela, a pequena Sofie, é a paixão dele.
Elizabeth é casada com o filho do advogado do pai, e a cláusula deixada por Frederick tinha o propósito de fazer Robert se casar com a outra filha do advogado, Britney. E era isto que irritava Robert, seu pai querer lhe comandá-lo mesmo depois de morto.
Esse livro pode ser definido em uma palavra: conflituoso. Mesmo sabendo que não deveria gostar do Robert, que ele era um babaca, egocêntrico e mentiroso, eu me via a cada capítulo compreendendo suas atitudes e torcendo para que as coisas mudassem.

O relacionamento de Linda e Robert não será algo fácil e banal, ele terá que se esforçar bastante para conquistá-la. E isto não ocorre porque ela quer se fazer de difícil, Linda é simplesmente assim, inocente e pura.
Quando outra pessoa surgiu se declarando para Linda, torci para que ela caísse nos braços dele, pois ela merecia alguém de verdade.

Mesmo com uma grande quantidade de páginas, o enredo não se perdeu. A autora conseguiu colocar situações que nos fizessem compreender os personagens e vivenciar cada momento com eles.
Esse foi meu primeiro contato com a escrita da Evelyn e fiquei desejando ler mais coisas, pois é uma escrita fluída e envolvente. Inclusive quero ler o volume 2 do livro o quanto antes, pois preciso saber o que vai acontecer depois desse desfecho arrebatador.
"Isso é o que sou Linda. Um paradoxo difícil de lidar e impossível de mudar"
O ponto alto da narrativa é a possibilidade do leitor sentir toda a angústia da Melinda. Algumas cenas em particular me fizeram sentir o nó na garganta e o estômago embrulhado, pois as atitudes de Robert chegavam a ser cruéis.
E a única coisa que me incomodou foram algumas das atitudes dele. Porém, como já citei, de certa forma elas são compreensíveis, mas não me impedem de querer trucidá-lo.

A narração ocorre em primeira pessoa e é compartilhada pelos dois, o que permite o leitor entender e visualizar cada ação dos personagens.
A edição da Editora Coerência está linda. A capa é delicada e a diagramação é uma fofura. Cada capítulo se inicia com uma imagem de uma flor, e as separações são feitas com alianças entrelaçadas. Também não encontrei erros graves de ortografia.
"O nosso coração é o que temos de mais precioso pra oferecer a alguém. Eu te entreguei o meu sem exigir nada em troca e você brincou com ele enquanto eu dizia te amar"
Doce Amargo tem um enredo que fisga e que certamente não é mais do mesmo. Com personagens bem estruturados e personalidades marcantes, é possível entrar de cabeça no enredo e viver esta história com eles. Robert um homem que jamais quis viver um relacionamento. Melinda uma jovem que se apaixonou por ele antes de conhecê-lo. Eles são dois opostos, que por causa de um testamento passarão a permear a vida do outro.
Algumas atitudes impensadas e erradas estarão sempre no meio da relação, e, talvez, o sentimento que tenha nascido não será capaz de impedir as marcas de uma omissão. Robert viverá o doce e o amargo de suas próprias mentiras e terá que lidar com as consequências delas...

Recomendo o livro e espero em breve trazer a resenha da continuação para vocês!

Beijos da Lice

12 comentários

  1. Aaa que lindo! Gostei muito como você apresenta o texto. Sou romântica incorrigível embora não seja o meu tipo de leitura favorito. Sobre o enredo, parece humano afirmar que Robert é intragável devido aos seus traumas de infância, mas, se houver um texto de retorno no seu blog (quando terminar o livro), gostaria de saber se o leitor é levado a enxergá-lo como vítima... Isso não seria muito saudável... Ademais, parabéns pelo texto <3 - por Mayara Santos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou do post <3 Então, o Robert é aquele personagem que vai dividir opiniões sabe?! Com certeza ele vai causar raiva por causa de suas atitudes, mas é um lado humano que todos temos no final. Não sei se os traumas dele me fizeram enxergá-lo como vítima neste volume, o que vemos é alguém que a falta do afeto do pai, acabou desencadeando um pouco a sua personalidade, isto na minha percepção, é óbvio. Quando ler o próximo venho aqui contar! Beijos!

      Excluir
  2. Muito bom saber que a leitura dessa obra a surpreendeu. Li a resenha "visualizando" os protagonistas e fiquei bem curiosa para acompanhar esse doce amargo romance!! Quero ler a resenha da continuação!
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me surpreendeu bastante, foi uma leitura intensa e bem prazerosa. Fica ligadinha que em breve deve sair por aqui, assim que eu ler rs Bjs!

      Excluir
  3. :O a sinopse e a resenha são excelente, me prendeu só com isso, imagine a história completa rs...Gosto muito de livros assim, e aguardo ansiosamente a continuação

    ResponderExcluir
  4. Pelo que pude perceber, apesar de ser romance entre jovens, a relação é apresentada de uma forma madura, com altos e baixos e pessoas imperfeitas, assim como na vida real. O próprio título já mostra essa ambiguidade.

    ResponderExcluir
  5. Essa resenha começou com a frase que me acompanhou em toda adolescência: "quantas vezes um coração pode ser machucado antes de deixar de amar?", srsrsrs.
    Olha, confesso q não é o livro q leio (romance, ainda mais entre pessoas tão novas - jpa li romance entre pessoas morrendo, até q curti mais), mas pareceu bem interessante. O q mais me prendeu foi o arco do Robert e seus contos. Tomara q eu não esteja errado e no fim tenha só uma lição barata de moral.
    Parabéns pela crítica, adorei.

    ResponderExcluir
  6. Cara, pela sua resenha o livro parece ser bastante consistente, cheio de nuances, e arcos sentimentais profundos. Gostei, e também gostei da forma como apresentou sem dar muitos spoiler mas "mostrando pra que veio" Parabéns

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia esse livro. Mais pela sua resenha fiquei bem curiosa para lê o livro! Parabéns

    ResponderExcluir
  8. Oi Alice tudo bem..
    Você com suas histórias emocionantes e de superação.A cada postagem noto me um relato sobre alguém que outrora tinha uma vida e por aLgum motivo conseguiu superar e se reerguer.
    O nome e a capa do livro me parece bem atrátivo e me deu vontade de ler o livro todo...

    ResponderExcluir
  9. Oi Lice!!
    Nossa, tá aí um livro que leria. Adoro romances com pessoas que tiveram seus traumas e precisam aprender a confiar no outro. Linda me pareceu uma personagem bastante interessante e confesso que criei um certo ranço do Robert por ser usar a Linda em prol de si mesmo.
    Anotada a dica!!
    Bjs
    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  10. Olá, Alice! Como vai? Bem, já faz um tempo que ando afastada da leitura e planejo voltar a ler o mais breve possível! Sou uma romântica quando se trata de livros e sinceramente? Quanto mais clichê melhor, mas claro, com uma pontada de diferencial! Achei a sinopse e sobretudo a resenha, bem explicativas e muito bem escritas! Parabéns pela indicação!
    Beijos
    www.cheiadeassunto.com

    ResponderExcluir