[Café com a Lice] Entrevistada: Erika Gomes

Olá leitores, tudo bem?

Faz um tempão que não trago o "Café com a Lice" e para reestrear esse quadro aqui no blog, nada melhor do que trazer uma das minhas autoras preferidas. Espero que vocês curtam conhecê-la um pouco melhor!
Antes da Entrevista, vou apresentar a Erika, por ela mesma.

Sou mãe de três filhos simplesmente maravilhosos, casei cedo e aos 22 anos já era mãe e as vezes me questiono sobre ser outra coisa, não sei se consigo ou se nasci para algo mais, realmente amo minha natureza materna, sou daquelas que se faz mãe até daqueles que nem mesmo idade para serem meus filhos tem. Sou casada há 15 anos, estamos juntos há 21 anos, bem, durante quase toda a minha vida rs
​Sempre fui apaixonada por outras vidas, outros mundos, coisas sobrenaturais sempre me despertaram a atenção, qual outro universo lhe permite ir além de você mesmo se não os livros?! Infelizmente, quando mais nova, a situação financeira não me permitia dar asas as minhas vontades e compulsão por livros, mas a independência financeira enfim chegou e com ela o começo da minha coleção literária.
Aos poucos notei que uma nova Erika nascia em mim, as ideias passaram a respirar e se mover, como uma criança sendo gerada, sentia os movimentos de uma nova ideia, o crescer de um novo sonho, em menos de um ano, assim como uma gestação, nasceu Tenebris.
​O primeiro livro de uma trilogia!!! - Irei falar sobre ele por aqui algumas vezes -
​Enfim, hoje sei que sou mãe, esposa, profissional, dona de casa, mas antes de tudo:
- Prazer, me chamo Erika! Sou autora.

Vamos a Entrevista:

1- Primeiramente, gostaria de agradecer por sua disponibilidade de responder esta entrevista, é um prazer de ter no "Café com a Lice". 
Para começar, conte para os leitores como a escrita surgiu em sua vida. 
R- Eu que agradeço o convite, sabe que é sempre um prazer conversar com você. Já tenho quarenta anos e por trinta e seis anos, vivi meio perdida. Busquei em muitas coisas preencher um vazio estranho que sentia, mesmo sendo mãe de três crianças, esposa, frequentadora assídua da igreja, ocupando assim meus dias com muitos afazeres, ainda assim, não me sentia, eu. Uma noite, em uma conversa louca, minha prima me disse “porque não coloca essas suas ideias no papel? Deveria escrever um livro, É.”. Na hora eu ri, mas fiquei com aquela sensação de “pode ser”. 
Um dia me atrevi começar e não parei mais. Foi nesse momento em que me encontrei.

2- Tenebris foi seu primeiro livro publicado e têm várias reflexões e críticas em seu enredo. Qual era seu objetivo quando escreveu-o? 
R- Tenebris é um grito da minha alma. 
Dentro dos três livros coloquei todos os meus questionamentos religiosos e pessoais. Quero que a pessoa leia a trilogia veja muito mais do que o romance dos personagens, mas entenda as entrelinhas. 
Que não temos o direito de nos colocarmos no papel de Deus, julgar e condenar o outro, somente porque suas escolha religiosa ou amorosa, difere da sua. Acredito cegamente que nem todos que deveriam ser luz, escolheram a luz e nem todos que são intitulados: trevas, vivam dentro dessa escuridão. 
Então a nós, seres humanos cheio de falhas, erros e pecados, não nos cabe apontar o erro do outro, se existe mesmo alguém que pode exercer essa função, Ele fará quando achar que é necessário. 

3- Cada vez mais acompanhamos as dificuldades em publicar um livro físico no Brasil. Tenebris foi publicado em 2017 por uma editora, depois você fez alguns exemplares independentes e agora será lançado pela Editora Skull. Quais as principais dificuldades para um autor iniciante em relação a publicação do físico? Você indicaria a publicação independente? Quais conselhos daria para quem está começando? 
R- O meio literário nacional é de fazer o autor sentar na guia da calçada e chorar de desespero. Temos editoras grandes que só tem olhos para os internacionais e enquanto as pequenas trabalham como gráficas de luxo, onde o autor paga um valor absurdo em um contrato e em quase 90% dos casos, as obras são deixadas por conta do vento e nada se faz para que aquele autor seja divulgado e tenha o retorno, não somente financeiro, mas o reconhecimento no meio. 
A publicação independente é algo muito valido no país, fica ainda mais valido quando o autor consegue fazer a diagramação e a capa de seu livro, já que esse serviço também é cobrado um valor alto. Claro que não estou desmerecendo os profissionais do meio, mas quanto mais o autor conseguir andar com as próprias pernas, melhor é. 
Não sei se tenho algo a passar a alguém, mas usando esse meu pouco tempo de estrada como base, diria para primeiro procurar uma boa beta que esteja ao lado do autor, lendo suas obras, norteando o caminho, porque é muito fácil se perder e querer desistir, quando tem alguém que consegue ver as coisas do lado de fora, fica mais fácil. Outra dica é começar a usar plataformas online de publicação, divulgando bastante em grupos literários nas redes sociais, conhecendo outro autores, se envolvendo nos eventos. Fazer sua obra ser notada e despertar a curiosidade do leitor para o livro. 

4- Além de fantasia, você tem uma duologia erótica publicada. Para você é difícil conciliar a escrita em gêneros diferentes? 
R- Me perguntam muito isso, mas não. 
Consigo passear bem entre os gêneros, tirando o terror. Acho que não saberia provocar o medo no leitor. 
Mas o romance, drama e a fantasia são o meu mundo, passeio tranquilamente entre eles e amo estar ali. Acredito que estejam ligados de alguma forma, pois não há como viver um romance, sem acreditar na magia dos pequenos momentos. Não há como vivenciar um drama, sem acreditar e se agarrar ao amor e não existe outros mundos e outras vidas, sem um toque de romance. 

5- Como te conheço, sei que escreve muitas coisas ao mesmo tempo, principalmente quando trava em alguma obra. Como funciona o processo da escrita de suas histórias? 
R- Sim, quando travo, fujo para outra obra e assim acabo com mil livros começados rs 
Mas preciso disso para deixar a trama toda fluir. Não funciono sobre pressão e quando me sinto pressionada a terminar um livro é automático, minha mente imediatamente produz outra trama e enquanto escrevo essa outra trama, consigo terminar aquela que era motivo de pressão. Sei que parece loucura, mas comigo funciona muito bem, acaba sendo meu escape. 
Não existe rs 
Sei que muitos autores são extremamente organizados com roteiros, começo, meio e fim, tudo devidamente anotado. Comigo é diferente, somente tenho uma ideia, penso em sua base central e desenvolvo toda a trama ao redor daquilo. 

6- Valentina é um conto basicamente sobre aceitação do seu corpo. Possui algum projeto futuro em relação a este tema? 
R- Sim. Me apaixonei por Valentina e acredito que ela representará o grito de socorro de muitas meninas e mulheres com sobre peso. 
Sei que hoje em dia a bandeira do amor ao seu corpo do jeito que ele é, está estiada com toda a força, mas sabemos o quanto uma criança gordinha sofre na escola, o quanto uma menina acima do peso é deixada de lado na adolescência e como a imagem da “mulher perfeita” é vendida pela mídia. Poder colocar em palavras esses traumas e esse desafio diário e constante me encheu de alegria. Sou uma mulher gorda e sei o quanto é horrível entrar em uma loja e sentir o olhar das vendedoras com aquela frase típica: “Não trabalhamos com 46” rs 
Se Valentina conseguir chegar até essas meninas e elas entenderem que além de suas medidas precisa existir o caráter, amor próprio, e a consciência de que precisam ser amadas por quem são e não por um corpo perfeito, já estarei feliz. 

7- Dos seus livros escritos ou em processo, qual o seu personagem preferido? E por quê? (Nada de dizer que são todos). 
R- ((ri alto)) 
Sem dúvida alguma, Heylel. 
Ele é um tapa na cara dos religiosos, é o grito de socorro daqueles que são oprimidos em nome de uma crença, é a busca do perdão, o querer da redenção, a caracterização do pecador em busca do olhar de Deus. 
Heylel, sou eu, é você. 
Ele é a falha do ser humano e a luta eterna entre o bem e o mal. 

8- Dizem que cada personagem traz muito do autor. Qual personagem possui mais características da Erika? E quais são essas características? 
R- Não duvido disso, meus personagens tem muito de mim. 
Não saberia escolher somente um, jamais. 
Amarantha tem a minha maternidade aflorada. 
Naiara tem a minha impulsividade. 
Heylel tem a minha luta eterna com a religiosidade. 
Agares tem a minha fidelidade aos que amo. 
Diego tem o meu amor a Deus. 
Élida tem o meu sarcasmos e minha falta de filtro. 
Mohini tem essa minha mania de acreditar na magia. 
Belial tem o meu lado ruim. 
Cris tem o meu lado menina, minha princesa da Disney. 
Nando tem meu bom humor. 
Enfim, cada um deles, tem muito de mim, não teria como escolher somente um. 

9- Agora é hora de um bate bola. Vamos lá: 
Livro preferido: Não posso falar somente um, minha cabeça deu bug nesse momento rs 
Hobbie: Comer, pode?rs 
Filme preferido: O diário de uma paixão. 
Comida que ama: Arroz, feijão e carne de panela com batata. 
Algo que não come: Verduras e legumes. 
Gênero preferido e gênero que não lê: Fantasia, Terror. 
Autor (a) preferido (a): Cassandra Clare. 
Deus: Sou totalmente dependente dEle. 
Família: Minha base para viver. 
Uma frase: Nem todos que deveriam ser luz, permaneceram na luz e aqueles que deveriam ser trevas, decidiram mudar por amor. 

10- Chegou ao fim e queria agradecer por seu carinho e respostas. Deixe uma mensagem para os leitores. 
R- Eu que agradeço por tudo, sei que falamos sobre a nossa importância uma na vida da outra, mas sou muito grata por tudo o que é para mim, por toda ajuda, carinho, horas de conversa no whatsapp, áudios gigantes e por me nortear em meus momentos de crise. 
Gratidão, não há muito o que dizer. Sou extremamente grata por cada leitura, cada pessoa que me procura para contar de que forma aquele livro mexeu com ele, todas as avaliações, criticas, elogios, só posso agradecer.

Creio que tenha dado para perceber o quanto a Erika é um ser humano incrível. 

E trago uma novidade: Tenebris está em promoção no site da Editora Skull! Saindo por apenas R$20,93. Frete Grátis para São Paulo e Brinde para os 50 primeiros. Vai perder?
Link de Compra: https://bit.ly/2uCGZc9

SINOPSE: Lúcifer há muito não é “aquele que traz a aurora”, como seu nome sugere. Desde que liderou a rebelião contra seu Criador foi condenado a Sheol, o inferno, onde instaurou seu próprio reinado. Muitos o seguiram, porque acreditaram nele. Tornaram-se seus serviçais ou aliados.
No entanto, Lúcifer se sente sozinho e cansado de sua existência. Depois de trai-Lo, sente falta de Deus, da essência divina, de uma razão verdadeira para a sua vida. Seria possível, um dia, a Ele retornar?
Agora conhecido como Heylel, é na Terra que Lúcifer encontra alguém que mudaria seus sentimentos. Anna, uma bela mulher, ensinou-lhe o amor e presenteou-o com uma filha. Heylel amou ambas com todo o seu coração.
Mas nem sempre é possível viver o que se deseja. Heylel não é humano e sua essência desvirtuada já não é divina. Ele é o Senhor de Sheol e seus demônios não estão contentes com a passividade de seu líder. Uma guerra se aproxima e Heylel precisará envolver nela seu bem mais precioso: sua família.
Carregado de tensão, incertezas, amores, bruxas, anjos e demônios, esse romance convida o leitor a pensar que nem sempre o que sabemos é verdadeiro. Até mesmo o Diabo pode surpreender!
Beijos da Lice 

18 comentários

  1. Ual.. deve ser emocionante entevistar nossa escritora favorita. Muito sucesso para vocês.

    ResponderExcluir
  2. Que maravilha poder conhecer mais dessa maravilhosa escritora Erika Gomes é sempre um prazer, Erika é uma escritora sensacional, gostei muito da frase que ela mencionou no bate bola, a frase falou profundamente, excelente a entrevista foi uma entrevista maravilhosa com a Erika Gome, bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lucimar. Tudo bem?
      Fico muito feliz em saber que, não somente curtiu a entrevista, mas que de alguma forma, mexeu com vc ❤️

      Excluir
  3. Olá, tudo bem?
    Amo esses posts de entrevista porque eles parecem desnudar a alma dos autores. Conhecemos melhor e em detalhes seus gostos, inspirações, sonhos e desejos. Terminamos quase amigos intimos e isso é ótimo. Não conhecia muito da autora apesar de já ter ouvido falar muito desse livro.
    Desejo muito sucesso a autora e a você.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Devo confessar que essa temática Lúcifer x Deus, céu x inferno, sempre me atraiu, portanto a autora já me ganhou daí. E que pessoa simpática! Não li Valentina, mas achei sincera e válida a mensagem que ela gostaria de passar. Também achei bem legal o que ela disse sobre a fantasia, o romance e o drama. Não sei se estou totalmente de acordo, mas compreendi a lógica. É bom que ela seja alguém que crê, mas questiona. Isso nos faz crescer e ser mais sábios. Parece mesmo uma ótima pessoa, espero poder conferir o livro dela em breve

    ResponderExcluir
  5. oi!
    Eu adorei a entrevista com a Erika :D foi muito bom conhecer um pouco mais desta autora.

    ResponderExcluir
  6. Oi! Sempre gosto de encontrar nos blogs entrevistas e mesmos apresentações com novos autores! Gosto de ter pelo menos um pouquinho de noção de quantos autores talentosos temos. Não conhecia a Erika, e achei a entrevista muito gostosa de ler. Gostei de conhecer um pouco sobre ela e sobra os livros e personagens.. Acho que gosta muito de ler também sonha em escrever um dia.. Obrigada pela dica!

    Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com

    ResponderExcluir
  7. Que entrevista maravilhosa.
    Desejo muito sucesso e que conquiste muito mais.
    https://blogdajenny2014.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Super legal conhecer melhor essa autora e sobre o seu processo de criação. Não sei se, como ela, eu conseguiria escrever vários livros ao mesmo tempo.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  9. Foi muito bom conhecer a Erika. A leveza que ela passou ao se apresentar e continuou no decorrer da entrevista foi muito bom. Não conhecia o Café com Lice também. Quero vir ler mais vezes. Parabéns. Beijos
    Mundo de Nati

    ResponderExcluir
  10. Nossa amei essa entrevista super descontraída e a autora é uma graça !!
    Sai caçando blogs sobre escrita e livros esse mundo literário e achei o seu blog um lugar gostoso de ficar um bom tempo lendo as postagens!! obrigada .

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Achei a entrevista bem interessante, é sempre bom conhecer autores novos desse imenso mundo literário. Gostei da autora ter falado o que cada personagem tem dela, e saber que ela tem uma favorita também acredito que seja a realidade da maioria dos autores. Foi muito bom conhecer um pouco mais sobre ela.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  12. Sou tão suspeita para falar desse "relacionamento": Lice & Erika ❤️
    Agradecer já me parece muito pouco para retribuir o carinho que tem por mim e a forma que mergulha em cada obra que escrevo, mas enfim... Obrigada, obrigada, obrigada ❤️

    ResponderExcluir
  13. Oi, tudo bem ?

    Tenebris é uma obra linda da autora Erika Gomes, o qual tive a oportunidade de ler, então super indico ele e achei a entrevista uma grata surpresa também...muito boa , parabéns !

    ResponderExcluir
  14. ja quero ler esse livro talvez ? com toda certeza adorei conhecer a obra da erika a historia me pareceu muito envolvente e que nos faz querer devorar o livro si eu tivesse a oportunidade de ler ira ler sim

    ResponderExcluir
  15. Oi Alice, tudo bem? Gente que entrevista mais legal. Fazia tempo que não acompanhava uma assim tão dinâmica. Não imaginava que era tão difícil publicar um livro físico no Brasil. Quando tinha uns 14/15 cheguei a escrever algumas páginas mas nada que me leve pensar o mesmo hoje. Interessante pensar como as pessoas aceitariam minhas histórias... Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  16. Que entrevista maravilhosa!
    Não conhecia essa autora, mas suas respostas são tão leves, que faz a gente sentir aginidade logo de cara. Adorei e já vou comprar o livro dela para conhcer também.

    ResponderExcluir
  17. Érika Gomes, mulher eu amei você, não conhecia e agora já estou doida para ler esse livro. Amei parabéns pela entrevista Lice.

    ResponderExcluir