[Resenha] Os Quase Completos - Felippe Barbosa

Olá passageiros, tudo bem?

Comecei a leitura deste livro com muita expectativa e todas elas foram supridas. Em vários momentos fui surpreendida, em outros fiquei atônita. 

Os Quase Completos
Autor: Felippe Barbosa
Páginas: 384
Editora: Arqueiro
Onde Comprar: Amazon / Saraiva
Nota: 💙💙💙💙
*Livro cedido pelo autor
SINOPSE: O Quase Doutor é um renomado cardiologista que passa os dias em um hospital, mas no fundo é um artista frustrado. A Quase Viúva é uma professora que está de licença do trabalho para ficar com o noivo, em coma após um grave acidente. O Quase Repórter é um jornalista decepcionado com a profissão que sofre há mais de um ano pelo suicídio da esposa. A princípio, a única coisa que essas pessoas têm em comum é a sensação de incompletude e de desilusão com a vida.
Até que, um dia, o Quase Doutor é persuadido por um velho desconhecido a embarcar com ele em um ônibus rumo a uma jornada para se reconciliar com seu passado. Logo a viagem se transforma em uma aventura extraordinária e, em meio a fenômenos como uma chuva de estrelas cadentes, ele precisa fazer escolhas que mudarão seu destino para sempre.
Enquanto isso, eventos misteriosos levam a Quase Viúva a suspeitar que alguém dentro do hospital quer matar seu noivo e uma pesquisa minuciosa do Quase Repórter revela que sua esposa pode ter sido assassinada. Quando os dois tentam descobrir a verdade sobre seus amados, tudo leva a crer que a resposta está dentro do ônibus do Quase Doutor.
Reunidos num lugar que nunca imaginaram existir, os três serão forçados a enfrentar seus maiores medos e verão que, para se tornarem completos, precisarão encarar a batalha mais difícil de todas: aquela que travamos com nós mesmos.
O Quase Doutor estava em uma cafeteria quando reencontrou sua antiga paixão da adolescência, a mulher que um dia acreditou que fosse construir a sua vida: Mira. Mira era meio louquinha e sempre o apoiou na pintura, que era mais do que um hobby, era um sonho. 
No entanto, por pressão familiar, ele seguiu na medicina, tornando-se um cardiologista e abandonando a pintura. Atualmente, ele está prestes a se casar, com Cila. 

Quando sai da cafeteria, ele acaba conhecendo no ponto de ônibus um idoso chamado de Barfabel. Quando o ônibus A307 parou, um ônibus que não era daquela linha, o homem chamou o Quase Doutor para embarcar e em um rompante de loucura, ele subiu no ônibus, que mudaria a sua vida.
O ônibus o levou para o Oitavo Reino, um lugar onde suas telas pintadas na infância/adolescência ganharam vida. Era o "lugar perfeito".
"Filas são a melhor invenção da humanidade! É quando as pessoas dos mais diferentes tipos são obrigadas a se manter juntas e acabam tendo que ser criativas para buscar maneiras de passar o tempo"
A Quase Viúva (Verônica) está com o seu noivo em coma em um hospital após um grave acidente. Com isso, ela teve que abandonar por uns dias a sala de aula na qual lecionava para dedicar-se aos cuidados dele. O seu marido, Otávio, é um médico do hospital e os dois se conhecem a muito tempo.
Porém, ela não viveu os sonhos que tanto queria. Para ficar próxima do noivo durante a faculdade, ela deixou de lado o curso de Direito e cursou Letras.

Quando um novo paciente é designado para o quarto de Otávio, Verônica não vai aceitar isto muito bem e após algumas interações com o homem, ela ficará desconfiada do mesmo, que afirma ter ficado em coma de "propósito".
"Levante-se mulher! Seu parceiro pode estar inconsciente, mas você não. Ele representa uma parte de sua vida, mas não sua vida inteira"
O Quase Repórter (Victor), por sua vez, perdeu a sua esposa, Celina há mais de um ano, depois que ela se suicidou. Ele não aceita que sua esposa tenha feito isto, para ele, seria impossível ela fazer algo deste tipo. E, quando uma amiga da polícia lhe procura, apresentando provas que mostram que sua esposa não se suicidou, ele decide ir me busca da verdade.

Victor quer provar que alguém foi o culpado pela morte da sua esposa e nessa sua busca, ele vai descobrir muitas coisas. Em meio a isso, o seu desejo de vingança existirá.

Pessoas unidas por suas desgraças, desilusões ou um futuro que não saiu da forma que planejaram no passado. Mas, o que acontecerá com cada uma delas?
Ao terminar esta leitura, eu só tinha uma sensação boa em meu peito, algo renovador, como se tivesse sido transformada, o que realmente, de fato, aconteceu. Eu precisava ler este livro, sem sombra de dúvidas!

O início do livro foi um pouco lento, precisei parar e me concentrar totalmente a narrativa, mas depois de fazer isto, simplesmente flui de forma incrível. Os nossos "Quases" são pessoas com suas próprias peculiaridades e além de vivenciarmos seus problemas do presente, também temos flashbacks do passado, onde os conhecemos melhor.
"A ideia de um destino pronto sempre me pareceu ir de encontro com a ideia de livre-arbítrio"
O personagem que ganha destaque é o "Quase Doutor", são dele as maiorias das cenas, mas isto se deve principalmente por causa do que está acontecendo com ele. O fato dele está em uma espécie de mundo perfeito e irreal, nos faz pensar se tudo é uma loucura da cabeça dele ou se realmente ele está tendo uma "segunda chance".

Os outros "Quases" também são importantes, principalmente por travarem suas próprias batalhas. Verônica não cursou Direito como gostaria e nem sabe se realmente ama seu noivo. Victor passou por um trauma, ainda é apegado a imagem da mulher e ainda por cima não está satisfeito em seu trabalho, ele quer colocar suas opiniões em suas reportagens, coisa que seu chefe abomina.
"A verdade é que nascemos com aspirações intrínsecas, e nossa vida nada mais é que uma busca por  preenchê-las. Uma busca por nossa própria identidade" 
"Os Quase Completos", na verdade, não fala apenas dos três personagens, o livro faz uma alusão a nossa própria vida e a forma como a levamos. Facilmente nos deixamos ser levados por situações, momentos ou pelo destino. Aos poucos, vamos deixando de lado nossos sonhos, objetivos e desejos, e vivendo uma vida de aparências. 
Neste momento quero te fazer uma pergunta: Se você morresse agora, morreria feliz? Responda-a sinceramente, com seu coração. Se sua resposta for negativa, repense a sua vida. Pare e reflita se os seus planos traçados são coerentes com o que pulsa em sua alma. Não basta pensar em sucesso profissional, se você não está satisfeito com o que faz. Não vale a pena está e um relacionamento por comodismo e se você não ama a outra pessoa.

Por muitas vezes, fingimos uma felicidade que não existe. Acabamos vivendo em nossa própria ilusão, e assim, nos desiludimos. O Quase Doutor, A Quase Viúva e O Quase Repórter passaram exatamente por isso. Eles se desiludiram, tentaram ludibriar o medo e agora terão que enfrentar a pior coisa do mundo: eles mesmos. A busca pelo "se sentir completo" se inicia e se finda quando lutamos contra nós mesmos, com a verdade que tentamos esconder.
"A morte é a maior certeza que nos cerca e, ao mesmo tempo, a incerteza que mais grandiosamente nos assombra"
A escrita do Felippe foi uma surpresa. O autor escreve de forma limpa, expondo bem as ideias dos personagens e trabalhando-os com maestria. O tema abordado pelo jovem em seu livro não poderia ser mais enriquecedor. Pois, as suas palavras são conexão com a alma de quem as ler, capaz de mudar um pensamento e levar esperança. E se este era o seu propósito, ele pode ter a certeza que comigo o atingiu perfeitamente.

O final do livro tem cenas de tirar o fôlego, assim como as suas reviravoltas. Personagens passam a todo momento pela linha tênue do "bem e mal", e você já não sabe mais o que deve ser feito e a forma com a qual deve ser realizada. 
O epílogo foi uma sacada maravilhosa e acaba despertando a curiosidade do leitor para o que pode acontecer.
"A vida não é um reino que gira em torno de nós mesmos! Às vezes, é preciso que haja falhas, para que outros possam ter vitórias"
Se arriscar não é uma tarefa fácil. Algumas vezes, você precisa encarar o desconhecido para se achar. Você precisa se jogar, sonhar, imaginar e até pirar. Sem sombra de dúvidas, essa não é uma tarefa fácil, mas ela se torna necessária pelas circunstâncias. As oportunidades existem e talvez elas estejam em um ônibus laranja com amarelo, que espera você embarcar e travar a sua luta. Lute pelos seus sonhos, lute pelo que te faz feliz, lute para mudar o que não lhe agrada. Talvez você possa deixar de ser um quase completo e finalmente se completar...

Beijos da Lice

11 comentários

  1. Oi Alice, tudo bem com você? A sinopse do livro me chamou atenção, mas depois de ler a sua resenha a minha vontade de ler ele apenas aumentou! Outra coisa que me chamou atenção é a capa do livro, que eu achei muito bonita. Depois que eu ler o livro eu te conto o que eu achei, ok?
    Bjs e sucesso com o blog!
    http://escritorawhovian.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Já preciso desse livro!!! Que foda!!! Adorei a resenha. <3 Imagino que a gente fica com ressaca literária por um mês depois de ler esse livro, pensando nele.

    ResponderExcluir
  3. Hey
    Nossa me surpreendi com a resenha ! Pensei que seria uma história clichê mas realmente eu achei muito boa !
    Já quero ler !
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Amei a sua dica!!
    Já tinha visto uma outra resenha sobre este livro, e agora com a sua fiquei mais animada a lê-lo!
    Abraços!!

    ResponderExcluir
  5. Oi Alice!
    Eu estou encantado com sua resenha, que já consegue-me fazer refletir sobre muitas coisas,
    Embora esteja sempre pensando sobre isso. Ha dias estou querendo conhecer melhor esse livro e quero pode fazer a leitura completa. De certa forma, provavelmente entraremos nessa viagem e levaremos nossas experiências também.

    Di ~ Vida & Letras
    www.vidaeletras.com.br

    ResponderExcluir
  6. Olá"
    Amei sua resenha, já vi muitas fotos desse livro, mas não cheguei a ler a sinopse... muito menos aluma resenha. Essa capa é realmente linda!

    ResponderExcluir
  7. Puxa, gostei de tudo nessa resenha: o tema, a inventividade prometida pela sinopse, as suas impressões, o fato de ser um autor brasileiro contemporâneo... Me deu vontade de também ler o livro!
    teofilotostes.wordpress.com

    ResponderExcluir
  8. Ola tudo bem Alice..
    Eu ainda não conhecia o livro mas logo e cara Já me simpatizei pelo assunto além do projeto gráfico aí me parece bem elaborado.
    Muito obrigado pela dica e com certeza vou conferir sim..

    www.robsondemorais.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Sabe que eu namoro este livro pela caa desde que vi ela primeira vez. Agora que li sua resenha iquei com ainda mais vontade de ler ele. Fiquei super curiosa pelos desfechos que cada historia apresentará.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oiii flor, tudo bem??
    Eu ainda não conhecia a obra nem o autor mas depois da sua resenha fiquei bem curiosa com essa história. Esse parece ser bem o estilo da minha leitura.
    Obrigada pela dica! :)

    ResponderExcluir