[Resenha] Eternamente Cecilia - Elysanna Louzada

Olá amores, tudo bem?

Acabei de finalizar esta leitura e precisava colocar em palavras tudo que senti. Um livro com uma história linda, importante e representativa. Meu coração está transbordando de amor.

Eternamente Cecilia
Autora: Elysanna Louzada
Páginas: 288
Editora: Independente 
Onde Comprar: Amazon / Com a autora
Nota: 💙💙💙💙💙
*Livro cedido pela autora
SINOPSE: 1890, Itália. Cecilia Agrizzi embarca com a família em um vapor para o Brasil em busca de trabalho e das terras prometidas pelo governo do Espírito Santo. Cecilia vai trabalhar em uma fazenda de café, mas quando seu pai adoece, ela se transfere para a cozinha da casa de Estela Dias, uma arrogante aristocrata que não perde a chance de humilhar seus empregados. Seus problemas só pioram depois que o herdeiro, Francisco, um conquistador nato, interessa-se por ela. Em meio à uma tórrida paixão, Cecilia precisará se livrar do obsessivo Otávio e enfrentar o ódio de Estela que usará de violência para se vingar da italiana que roubou o coração de seu filho e arruinou as chances de vê-lo casado com uma herdeira rica.
Eternamente Cecilia é a história de um amor proibido que desafia as convenções sociais do século XIX.
Cecilia Agrizzi deixou a Itália juntamente com seu pai, Antônio, e seus irmãos, Angelo e Eustaquio. Eles vieram para o Brasil em busca de uma vida melhor, de um recomeço. 
No dia de sua chegada ao Espírito Santo, Cecilia acabou se perdendo de sua família em uma confusão e depois de ser deixada por um cavalheiro no local onde eles estavam, se deu conta que havia perdido a única lembrança de sua falecida mãe, uma corrente de São Francisco.

Ao chegar na fazenda de café em que trabalhariam, perceberam que não teriam o que lhes foi prometido, o seu pedaço de Terra para plantar e ainda formariam uma dívida para se alimentar.
Angelo, o irmão mais velho de Cecilia logo se revoltou, mas a irmã conseguiu lhe acalmar, eles tinham que aceitar as condições que lhe eram impostas, juntamente com os outros italianos.

Quando o pai de Cecilia passa mal e ela precisa de dinheiro urgentemente para pagar um médico e posteriormente remédios para ele, ela decide se candidatar a uma vaga na cozinha do casarão.
Esta vaga surgiu depois que o herdeiro da fazenda de café, Francisco Dias, retornou ao local depois de um tempo no Rio de Janeiro. O jovem conhecido por ser um conquistador e mulherengo acabou levando uma empregada para cama, que posteriormente foi demitida por sua mãe, Estela.
"Seria desgastante falar de igualdade e respeito pelo ser humano para uma narcisista escravocrata"
Francisco é um jovem que luta pelas causas igualitárias e o fazia desde a escravidão, principalmente depois que se tornou advogado. Ele tem em seu sangue o desejo por justiça e igualdade, diferente de sua mãe, Estela, que pretende tratar os italianos como escravos.
Na sua volta, ele trouxe a tiracolo seu amigo de farras e internato, Otávio. O jovem vai descobrir que a fazenda está passando por um mal momento. Tem dívidas gigantescas com o banco e está sendo mal administrada desde a morte do seu pai. E assim, mesmo contra a sua vontade, ele decide ficar ali para mudar esta situação e resolver o problema.

Estela quer casar o filho com uma jovem herdeira, pois desta forma seus problemas estariam "resolvidos", ela tem até a candidata perfeita: Catarina.
Porém, quando Francisco põe os olhos em Cecilia, se encanta pelos olhos verdes da italiana. Ela sabe que deve ficar longe dele, principalmente por sua fama.

Mas, alguns acontecimentos irão aproximar os jovens. E em meio a uma mulher preconceituosa e a situação de sua família, Cecilia viverá um amor impossível. Onde isto irá chegar?
Sabe aquela sensação de vazio quando você termina um livro muito bom? Então, estou sentindo isto neste exato momento. 
Me envolvi com os personagens e "deixá-los" depois de finalizar a leitura é algo estranho, por mim, continuaria lendo mais deles.

Cecilia é uma daquelas personagens que dá orgulho. A jovem italiana é determinada e cuidou da sua família depois da morte de sua mãe, principalmente do pequeno Eustaquio. Mesmo conhecendo a má fama de Estela, ela não se intimidou em ir trabalhar na cozinha do casarão, pois o bem estar de seu pai era seu foco.
"Seus olhos eram ternos, seu sorriso acolhedor e seus modos eram pura simplicidade"
Francisco é definitivamente minha nova paixão literária. Ele tinha tudo para ser um homem desprezível e com pensamentos arcaicos, mas ele se mostra completamente diferente. O fato dele defender a minoria, que na época quase não tinha apoio, foi algo que o fez ganhar todo o meu amor. Ele é um HOMEM, com todas as letras.
Quando ele toma a administração da fazenda para si, ele é justo com os italianos e tenta cumprir o que lhes foi prometido.

Estela, por sua vez, talvez seja uma das personagens mais desprezíveis que encontrei nos últimos tempos. É impossível não terminar a leitura odiando, suas ações são deploráveis.
Os demais personagens foram bem trabalhados e acabam despertando muitos sentimentos controversos, este é o caso de Angelo. Otávio se mostra tão desprezível quanto Estela.
O livro se passa no final do século XIX, no período em que os escravos tinham sido libertados pela Lei Áurea e uma parte dos fazendeiros precisavam recrutar mão de obra de outros países, assim, os italianos se mostraram como uma boa opção. E foi nesta situação que Cecilia e sua família acabaram no Brasil.

Como uma época envolta no preconceito, o relacionamento entre um fazendeiro e uma imigrante era uma afronta para a sociedade, principalmente para Estela, que via todos como seus escravos, que apenas tinham mudado de cor.
Este preconceito não está associado as pessoas de classe alta da época, mas a própria família de Cecilia aceitaria que ela "se deitasse" com o patrão.
"Será que os homens em posição de poder não eram capazes de respeitar uma mulher, especialmente se ela fosse uma empregada?"
Um dos pontos altos do livro, para mim, é o Francisco, como já citei anteriormente. Ele é um homem justo, dando o valor ao trabalho dos italianos. Ele não liga para a opinião das outras pessoas, inclusive de Estela.
A Elysanna abordou amplamente, dentro das limitações de sua ficção, pela imposição de poder. Alguns homens, nesta época, achavam-se donos dos corpos de suas empregadas, muitas vezes estuprando-as e tratando-as como prostitutas.

Algumas cenas de "Eternamente Cecilia" me fizeram embrulhar o estômago, pois é difícil ver como as pessoas tratam quem está "abaixo" com inferioridade. Cecilia passou por algumas situações constrangedoras, e que se pararmos para pensar, ainda se repetem nos dias de hoje, são até comuns, infelizmente. Quando os homens serão capazes de respeitar uma mulher e entender que um NÃO é um NÃO?!
"Nunca se dignou a abrir mão da boa vida em favor dos seus ideais. Criticar pe fácil, mas trocar de lugar conosco, você nunca quis"
Com a narração em terceira pessoa dividida entre a Cecilia e Francisco, vamos acompanhando os dois lados da moeda, como cada um via uma determinada situação e interpretava-a. Adoro este tipo de narrativa para livros neste estilo, funcionam muito bem.
A escrita da Elysanna foi uma delícia, ela envolve o leitor facilmente em suas palavras, levando-o para dentro da história.

O livro é uma viagem por uma parte da história brasileira. Com cenas de romance, apreensivas e de tirar o fôlego. Mas, em cada pedacinho dele, tem esperança. Os italianos possuem a esperança de que conseguirão alcançar os objetivos que tinham ao vim ao Brasil. Cecilia e Francisco possuem a esperança de que irão viver o que sentem, mesmo não sendo fácil.
"O que vivemos não é algo que eu possa apagar da noite para o dia"
Quando tantas pessoas se mostrarão contra um amor, eles precisarão se manter fortes. Será que ele conseguirão? Cecilia e Francisco vão passar por muitas situações e só a certeza pelo que sentem, poderá ser capaz de manter isto vivo. O eterno é contado a partir de cada segundo...

Beijos da Lice

13 comentários

  1. Oi, tudo bem com você? Eu amo romances de época (há uns meses atrás eu só comprava livros nesse estilo, mas dei uma regulada para não ficar presa a somente um tipo de leitura), então o livro logo me chamou atenção e depois a sua resenha me envolveu por completo. Eu estou apaixonada por essa história que parece ser tão envolvente!
    Bjs e sucesso com o blog!
    http://escritorawhovian.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. eu amo esses livros carregados de sentimentos! faz meu coração ficar quentinho e cheio de amor.
    não conhecia esse livro mas amei a capa e suas palavras me fizeram acreditar que esse livro deve ser super envolvente. quero. kkkk

    ResponderExcluir
  3. Que linda a história, parece ser um romance de arrebatar corações! A trama da Cecília me lembrou a trama de Terra Nostra, com o romance da Giuliana com o rico Marco Antônio, que contrariava os interesses de sua mãe megera, a Janete.

    ResponderExcluir
  4. Primeiramente, parabéns pela postagem. Muito detalhada e analítica. Tenho por romances um certo ceticismo, na medida em que entendo todos como sendo a mesma coisa (como canções idênticas em tons diferentes). Contudo, quando trazem descrições fora do enredo, como por exemplo o que se passava em uma dada época, reconheço o valor e fico até mesmo interessado. Assim, obrigado por compartilhar.

    ResponderExcluir
  5. Olá Alice tudo bem...
    Pela leitura da resenha notei que.o livro aborda uma prática que a tempos deveria ser erradica.Que é os pais interferir mas escolha dos filho, mas está escolha a da por interesse...
    Gostei e vou ler ..Obrigado pela dica..
    ww.robsondemorais.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Olá!

    É possível se apaixonar por uma história sem ao menos conhecê-la? Pois estou assim nesse momento. Sua resenha fez isso comigo.
    Preciso desse livro! Vai pra lista agora mesmo.

    Beijos,
    Narah | www.lerantesdedormir.com.br

    ResponderExcluir
  7. Em primeiro lugar, que capa maravilhosa e essa? E essas fotos? Adorei!!!
    Em segundo lugar, é tão bom quando acabamos um livro com essa sensação de quero mais né? Eu considero que o livro valeu a pena ser lido rs.
    Fiquei encantada com o Francisco, ele parece ser o tipo de personagem que eu me apaixonaria durante a leitura.
    E sinceramente? Eu nem preciso começar a ler o livro pra odiar essa Estela, já tô odiando de agora rs
    Parabéns pela resenha e pelas fotos! Me deu vontade de ler o livro.

    Grande beijo,
    Alem de 50 Tons
    https://wp.me/p7L49w-5dP

    ResponderExcluir
  8. Essa resenha mostra que essa é uma história de amor com muitos desafios.Com certeza se ambos se amam vai vencer.Ela mostra o quanto ainda existe preconceitos e aceitação de amar alguém de classe diferentes.Espero ler esse livro. Parabéns!Sucesso!

    ResponderExcluir
  9. Olá
    Gosto muito quando os autores brasileiros trazem suas tramas para o Brasil, nosso país tem o mesmo potencial de atrair história de época quanto a Inglaterra.
    Á história parece ter umas passagens bem fortes. Fiquei curiosa para saber como termina.

    ResponderExcluir
  10. Interessante ver um romance histórico, com tema tão brasileiro, desenvolvido por uma autora contemporânea. E discutir questões tão profundas, como relações de poder, dentro da obra. Tenho gostado muito de encontrar tantos autores nacionais resenhados por aqui. Muito bom sentir essa produção pulsante de livros, de escritos, de histórias...
    Beijo grande!
    teofilotostes.wordpress.com

    ResponderExcluir
  11. Gostei bastante da premissa do livro, o contexto histórico que a história se passa também é bem interessante.

    www.estante450.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. A capa é linda, logo para começar! E adoro livros sobre amor, livros envolventes e que nos façam pensar e retratem preconceito e diferentes pessoas nas mais variadas situações e conflitos. Fiquei mesmo muito interessada!

    Beijo

    www.keke.pt

    ResponderExcluir
  13. Amo romances de época, e este parece ser ótimo, além de ter uma capa muito linda. Já vai entrar para minha lista de leitura.

    ResponderExcluir