9 de abril de 2018

[Resenha] Dilacerada - Helô Delgado

Olá amores, tudo bem?

Hoje tem resenha de um livro que me deixou sem palavras quando terminei a leitura. Até agora não sei como escrever essa resenha, pois tenho a plena certeza que não conseguirei colocar em palavras tudo que senti. Então, leiam essa resenha sabendo que o livro é ainda maior e merece ser lido.

Dilacerada
Autora: Helô Delgado
Páginas: 311
Editora: Coerência
Onde Comprar: Coerência / Amazon / Saraiva
Nota: 💙💙💙💙💙 / Favoritado
*E-book cedido pela Editora
SINOPSE: O que você faria se alguém do seu passado voltasse para a sua vida e você tivesse que enfrentar seus traumas?
Uma família peculiar. Uma mãe rigorosa. Um romance.
Aos 27 anos, Vivian é uma adulta marcada por seu passado e leva uma vida reservada. Não confia em quase ninguém e acredita ser incapaz de amar. Quando menos espera, depara-se com uma situação delicada, a qual evita por vários anos: a necessidade de buscar ajuda profissional para falar sobre seu passado, seus sentimentos e enfrentar seus conflitos mais profundos.

Vivian não teve uma infância/adolescência comum, depois que perdeu seu pai quando ainda era uma criança. Ela vivia praticamente presa em seu lar, impedida de conhecer o mundo. Sua mãe, Karina, era rígida e a proibia de sair de casa, nem a escola ela frequentava.
A única companhia de Vivian era a sua irmã, Valéria. As duas eram muito unidas, e Vivian cuidava da sua irmã com todo carinho, a pequena tinha síndrome de down.

Aos 15 anos, essa rotina continuava. A mãe saia para trabalhar e deixava uma lista de afazeres que Vivian tinha que realizar e caso não realizasse todas as tarefas teria algum castigo. Caso conseguisse realizar tudo corretamente, sua mãe deixava ela sair por 30 minutos para o quintal de sua casa, e ela passeava no lago que margeava o local, era seu momento de conexão com o mundo, com a natureza, que ela amava, por sinal.
"A voz dela não me enganava. Por mais que soasse doce e encantadora, eu tinha plena consciência de que poderia estar carregada de veneno e maldade. Um lobo vestido de ovelha. Era isso que ela era"
Porém, certo dia ao sair de casa, a vida de Vivian mudou. Ela viu um garoto escondido nas margens do lago e logo depois ele se tornou figura constante em sua vida. 
O garoto que se apresentou como Lucas, conversava com Vivian nas margens do lago e quando a mesma estava de castigo, a comunicação era feita pela janela, através de conversas escritas em um caderno.

Lucas mudou a rotina de Vivian. Ela ficava ansiosa por chegar a noite e finalmente poder conversar com ele, pela primeira vez, ela queria mais fortemente outra vida, uma que fosse comum.
Quando Val, encontrou a irmã e Lucas aos beijos, Vivian sabia que aquilo não teria um final feliz e mesmo sua irmã guardando o segredo, o mesmo não durou muito tempo.
"E quando nós amamos, criamos expectativas e confiamos no outro, o que nos deixa vulneráveis a decepções [...] Se as pessoas que você mais amou te decepcionaram, faz sentido você ter se fechado para o amor"
Em meio a uma de suas saídas para o lago, quando estava aos beijos com Lucas, eles foram flagrados pela sua mãe. Karina teve um ataque de raiva, não entendia o que "esse menino" estava fazendo com a sua filha, segundo ela havia algo por trás. 
E assim, Karina teve uma atitude que mudou completamente a vida da família. Nunca mais, Vivian seria a mesma, seu futuro foi modificado e tudo entrou em colapso.

Agora, 12 anos depois, Vivian finalmente está fazendo terapia, algo que deveria ter feito muito tempo atrás. E através de suas conversas com a psicóloga, vamos percebendo tudo que aconteceu com ela.
O que o destino reservou para Vivian? O que aconteceu nesses 12 anos desde que Lucas entrou em sua vida?

Primeiramente, não achem que falei demais. Quando fiz o post de Primeiras Impressões, não imaginava que esse livro iria tomar o caminho que me foi apresentado. A cada página eu ficava mais surpresa e ansiosa sem saber o que esperar. Mas, antes de falar diretamente sobre a minha experiência, preciso falar sobre os personagens.

Vivian. Essa personagem me cativou com toda a sua dor. A vida de Vivian não foi fácil, ela passou por tantos altos e baixos, tantas decepções, que eu conseguia entender sua ressalva em relação ao amor. Segundo Vivian, ela não era mais capaz de amar, tinha perdido completamente esse lado. Eu no lugar dela, também me sentiria assim.
Ela é esforçada, determinada e me encheu de orgulho.
"Não tenho medo do dia de amanhã, não crio expectativas, não tenho sonhos e esperanças tolas que serão despedaçados"
Lucas. Uau, falar sobre o Lucas vai ser algo difícil. Primeiramente, preciso dizer que o Lucas é maravilhoso, perfeito, um crush para a vida. Porém, aos poucos vamos conhecendo alguns segredos de Lucas e senti uma vontade imensa de dar um bom tabefe na cara dele. Não me leve a mal, eu amo o Lucas, mas ele me causou uma raivinha básica. No entanto, isto não foi suficiente para apagar todo o meu amor por ele.

Karina é uma mulher que eu detestei. No início do livro, eu seria capaz de afirmar que gostaria de dar na cara dela e a fazer se tornar uma MÃE. Mas, acabei o livro com outra visão, com uma daquelas belas reviravoltas que só uma boa autora é capaz de fazer.
Valéria é um amor. Não existe palavra melhor para definir o que Val significa para quem está dentro do livro e também para quem está do lado de fora. Ela transborda amor e enche nossos corações de sentimentos verdadeiros nas cenas em que aparece.
"Era como se tivéssemos voltado no tempo e minhas feridas fossem recentes e abertas"
Camila e Jonathan vão aparecer quase no meio do livro e são personagens que representam a personificação da amizade. A Camila adora falar, já o Jonathan adora conquistar todas as meninas a sua volta. Os dois ganharam um local especial em meu coração.
Agora chegou o momento de falar sobre minhas emoções com esse livro. Não vou conseguir colocar aqui tudo que senti, porque nada chegaria perto.
Primeiramente, preciso parabenizar a Helô por criar uma obra que envolve o leitor, que o paralisa, que nos deixa vidrados.

"Dilacerada" não é um livro que você descobre os próximos passos, algumas coisas cogitei que iriam acontecer, mas depois a obra foi levada a outro rumo e acreditei que nada do que imaginei se concretizaria. E quando já não acreditava mais na hipótese, lá estava lá, me deixando surpresa e arrancando suspiros de êxtase.
"Você foi quebrada. Não é uma suposição, Vivian. Você nunca se permitiu cuidar dos seus traumas. Nunca quis se abrir"
A cada cena que ia lendo, o meu coração ia oras se apertando de dor, de mágoa, oras se enchendo de felicidade e amor. Os mais variados sentimentos perpetuaram toda a leitura. Tanto é, que chorei, gargalhei, amei, quis bater, quis pegar no colo e perdoei. 
Ao terminar a leitura na madrugada, passei 2 horas olhando para o teto e pensando como essa obra merece ser lida e disseminada para todos. 

Um dos pontos altos, com toda certeza é a conversa aberta da Vivian com a psicóloga. Como ela está contando sua história, vamos nos sentindo em sua própria sessão, sentindo como ela se ver nos olhos da profissional. A autora colocar a terapia como algo necessário foi uma atitude espetacular, pois muitas pessoas ainda sentem-se receosas com psicólogos, ainda existe certo "preconceito".
"Parecia que a cada dia um dos pedaços do meu coração estilhaçado era colado de volta no lugar"
Este foi o meu primeiro contato com a escrita da Helô e só sei que preciso ler outros livros, principalmente se ela se propor a trazer temas importantes e que merecem ser discutidos em todos os níveis da literatura.
A edição do livro está linda, mesmo o e-book. Não encontrei erros de gramática na obra, e o trabalho da capa é espetacular. A Coerência arrasou novamente.

Ser quebrada é difícil. Em um momento você pode está levando uma vida "normal" ou uma vida apenas "ok", mas de repente tudo muda de forma trágica e você se ver perdida, sem ninguém, sem se encontrar em você mesma. Quando a sua única esperança se esvai, você precisa se reerguer, o que é estritamente difícil.
Ser dilacerada é como não se encontrar no que você planejou, é ser forte o suficiente para se levantar e ir viver. Não lute sua luta sozinha, divida o fardo e o torne mais leve. Seja capaz de se libertar, de quebrar o silêncio da sua alma. Não se permita dilacerar infinitamente...

Existem muitas Vivian's, muitas Valéria's, muitos Lucas's e muitas Karina's... Não seja aquele que julga, seja o que acolhe!
"A dor física era ruim, mas a emocional... dilacerava"
Beijos da Lice

15 comentários

  1. Eu fui lendo a resenha e pensando: "mas eu já li isso, em que lugar?" Aí eu me toquei que li sobre as suas primeiras impressões. Acho que foi, tenho quase certeza.

    Achei bem bacana essa reviravolta, confesso que não sou do tipo de que gosta de primeiras impressões, porque pode ser que seja decepcionante no final das contas. Mas achei legal ver que não foi. ♥

    ResponderExcluir
  2. Uma história bem intensa, com grande envolvimento de questões psicológicas, foi a impressão que tive. Livros nesse estilo costumam me atrair. Também fiquei com muita raiva da mãe, acho que nada justifica o tratamento que ela deu à filha, mas já que existe uma reviravolta, essa questão deve ter alguma explicação que ameniza esse comportamento.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Vale chorar com essa resenha? Eu preciso ler esse livro agora mesmo. Fiquei curiosa sobre a reviravolta sobre a mãe, mas já desconfio qual seja. Preciso ler esse livro pra ontem.

    ResponderExcluir
  5. A história parece ser de arrepiar!! Dá vontade de ler mais e mais...

    E quanto aos psicólogos, não é preciso ter medo nenhum, o seu trabalho é apenas ajudar na saúde da pessoa!

    http://www.me-myself-and-her.com/

    ResponderExcluir
  6. Nunca imaginei nesta hipótese mas que eu pensso é no sofrimento da família da protagonista do livro.A protagonista penso que não sofria tanto pois et uma vida até então não vivida...
    Ótimo post.
    http://robsondemorais.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Lendo a sinopse, parece um pouco clichê. Mas lendo o seu post, dá pra perceber que a leitura surpreende bastante, o que me fez ficar bastante interessada na leitura.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  8. Li uma outra resenha do livro, porém não tão completa como a sua. Agora fiquei com vontade de conhecer a história, fiquei muito curiosa - o que mudou na vida de Vivian? quero ler!

    ResponderExcluir
  9. Que está dilacerada sou eu depois dessa resenha.
    E quando eu imaginei que não havia mais palavras na sua resenha que pudessem me convencer ainda mais de ler este livro, seu último quote vem e acaba comigo. kkk
    Adorei a história! Amo dramas assim recheados de conflitos.
    Gratidão pela dica!
    Já quero!
    Um beijo, moça!

    Eliz

    ResponderExcluir
  10. Olá
    Que resenha linda, supercimpleta e emocionante. Não sou muito de ler esses dramas românticos, acho que é demais para mim, mas confesso que fiquei muito curiosa depois de ler a resenha completa

    ResponderExcluir
  11. Adoro livros assim, que nos fazem sentir todos os tipos de emoções que podemos, e no fim nos emociona e nos pega de surpresa com suas reviravoltas. Também nunca li nada da autora, mas já fiquei curiosa para conhecer a escrita dela. Adorei a resenha

    ResponderExcluir
  12. A história parece ser incrível, já vou adicionar no skoob para que eu possa ler. Você descreveu a história tão bem na resenha que parece que esse é uma introdução ao livro.

    ResponderExcluir
  13. Oi Alice!!
    Esse livro é a minha cara. Adoro essas histórias que são carregadas de emoções e que quando a gente acaba de ler nem sabe o que escrever sobre o livro. eu não conhecia o livro e nem a autora, mas já entrou na minha lista de próximas leitura.
    Bjs
    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  14. Oi, Alice tudo bem?
    Parabéns pela resenha. Eu gostei muito. A capa do livro é linda mas não gosto muito de livros nesse estilo.

    ResponderExcluir

Desenvolvido por: Adorável Design Editado por: RM Design

imagem-logo