[Resenha] Sorte ou Azar?: É tudo uma questão de ponto de vista - Filipe Salomão

Olá amores, tudo bem?

Hoje a resenha é do livro "Sorte ou Azar?", uma obra com grande humor sarcástico e elementos bem realistas. Confesso que a leitura foi uma grande surpresa e que gostei do livro.

Sorte ou Azar?: É tudo uma questão de ponto de vista
Autora: Filipe Salomão
Páginas: 302
Editora: Chiado Editora
Onde Comprar: Saraiva / Travessa
Nota: 💙💙💙💙
*E-book cedido pelo autor

SINOPSE:Esse livro não irá te emocionar, não irá fazer você refletir, não irá te surpreender. Sorte, sorte é você ter um bom livro numa tarde chuvosa para ler. Azar, azar é ser esse o livro. Pedro não tinha sorte, não nasceu em uma família de sorte, não tinha bons amigos, não tinha um bom emprego. Pedro não merecia nada de bom. Sorte, sorte é ter um exemplo dentro de casa. Azar, azar é seguir o exemplo errado. Sorte , sorte é você fazer algo impulsivamente. Azar, azar é você se arrepender disso.
Pedro é um jovem que tem uma família toda descompansada e neste livro iremos conhecer ele desde o momento que foi fecundado. Sim, o livro começa exatamente com a transa entre a mãe e o pai de Pedro, devo ressaltar que essa transa só ocorreu porque a intimidade do pai dele estava com mal odor e sua mãe desistiu do oral, levando-a a perder a virgindade e engravidar na primeira transa.

Como você pode perceber leitor, a vida de Pedro já começou sendo "indesejada" e as coisas pioraram. Seus pais casaram por causa da gravidez e não viviam um relacionamento de amor, longe disso. Seu pai trabalhava apenas para alimentá-los e transava com mulheres da rua, já a mãe dele começou a engordar sem controle. Todo mundo ainda morava na casa da avó de Pedro, que não gostava nada daquilo e criticava a filha por não ter casado com um homem rico.

Na primeira parte do livro vamos acompanhar a infância de Pedro. O garoto foi obrigado a presenciar a mãe fazendo um oral na sua frente, viu seu pai batendo nela várias vezes e quando seu pai morreu (planejou a própria morte por não aguentar aquela vida), as coisas ficaram na mesma e sua mãe apenas engordava cada vez mais.
"Sorte é nascer, se não fosse o pau sujo e fedorento do meu pai, eu não teria nascido. Minha mãe teria se aguentado por mais um minuto e tomado um jato na garganta"
Com a morte do seu pai, Pedro recebeu um "presente". A prostituta que estava com o pai dele quando morreu (sim, ele morreu em um bordel), foi procurar a pequena criança no colégio, queria recompensá-lo, pois gostava muito do falecido. A recompensa? Tirar a virgindade do garoto. Mas, nesse primeiro contato, ele apenas ganhou um oral.

Depois da escola inteira presenciar Pedro saindo do colégio com a prostituta, o garoto se tornou popular e com isso atraiu a atenção de Ricardo, o garoto que era o centro das atenções no colégio. Ricardo viu em Pedro a oportunidade de continuar popular e de quebra, quem sabe, conseguir uma transa.

Assim, o tempo foi passando, Pedro e Ricardo foram estreitando a amizade e chegou o dia que Fábia (a prostituta) voltou para tirar a virgindade de Pedro. Como Ricardo já não desgrudava dele, foi no pacote também e ambos perderam a virgindade em um motel com a mesma mulher.
"Sorte, sorte é ter um exemplo dentro de casa. Azar, azar é seguir o exemplo errado"
O tempo foi passando e vamos acompanhando a vida de Pedro, sempre com Ricardo a tiracolo. Os jovens vão se tornar populares, Pedro em sua maioria, sendo levado pelo amigo nas situações. Eles vão beber, se drogar e tirar a virgindade de algumas meninas.

Mas, por quanto tempo tudo seria assim? Como seria quando eles tivessem que entrar na fase adulta? Essa amizade é verdadeira?
Pedro é um personagem realista. Ele é aquele amigo ou familiar que encontramos em qualquer esquina. Um homem que passou por algumas coisas na vida e que aprendeu que deveria aproveitar acada oportunidade que lhe era dada. 
Ele não deixa de fazer algo por alguma razão, mas tenta manter a consciência dos seus atos, tenta de certa forma respaldar os outros.

Ricardo é o total oposto, enquanto Pedro ainda pensa nas pessoas, ele vai lá e faz sem nem pensar. Ele é o tipo "canalha" sem sentimento algum, que não se importa se vai magoar alguém, pelo contrário, ele toma ações para pisar nos sentimentos dos outros. 
Ele é calculista, impiedoso e frio. O tipo de pessoa que procuramos evitar em nossas vidas.
"Nos lares privilegiados, só havia humor. No meu, só havia o humor ácido"
Fábia aparece apenas na fase da infância de Pedro. Ela é uma prostituta que possuía sentimentos pelo pai do garoto e realmente queria ressarci-lo de alguma forma pela morte do homem. No fundo, ela é uma mulher normal, com escolhas erradas.
A mãe de Pedro vamos apenas conhecer através dos olhos do filho e el parece ser alguém que deixa ser levada pela vida, sem ânimo, sem uma vida, na verdade.

Letícia é uma personagem que vai aparecer durante a obra e terá um papel muito importante. Ela é uma garota calma, centrada nos estudos e com uma família bem religiosa.
Joaquim também vai aparecer no decorrer da obra e vai se mostrar um homem ganancioso, que não pensa duas vezes antes de pedir um favor em troca de algo.
"Tão novo e já deixando mulher, cerveja e droga controlar minha vida, alguma coisa estava muito errado comigo. Isso iria mudar. Eu acho"
Outros personagens apareceram, mas acho que esses são os de mais destaque na obra e que merecem ser mencionados. Sobre alguns fui bem vaga, pois acho que você deve ler para entender a importância deles.
Esse livro não tem papas na língua. Sim, o livro é repleto de palavrões, palavras de baixo calão e muitas vezes as mesmas são de cunho sexual. 
O livro é realista, abordando uma parte mais obscura da sociedade e escancarando como é a vida de muitas pessoas.

Já li outras obras neste estilo e minhas experiências sempre foram bem positivas, aqui não foi diferente. Eu adoro livros com o humor ácido presente em "Sorte ou Azar?", torna a leitura mais dinâmica, pois os diálogos são bem recorrentes na vida de qualquer ser humano.

O Filipe foi bem certeiro, principalmente no enredo do livro. Vamos acompanhando a vida do Pedro e por tudo que ele passa, as coisas que ele pensa (sem filtro algum) e as atitudes que toma. Certas vezes vamos sentir raiva do Pedro, outras vamos sentir pena, também consegui sentir nojo e me sentir constrangida.
Pedro vai mostrar o que muitas pessoas fazem pela vida e tomar muitas decisões para chegar onde almeja.
"A escolha mais correta, às vezes, é aceitar os erros, e aceitar que a vida é uma merda, parar de se preocupar e apenas se aliar à felicidade"
As várias fases dele, de certa forma, são as que nós próprios passamos. É claro que nem todos vão vivê-las como Pedro, uns com bem menos intensidade, outros até com mais. Faço parte dos que não viveram algo parecido, mas que mesmo assim se identificaram.
O autor vai mostrar que certas amizades não são para sempre, que na verdade nem são verdadeiras, são por puro interesse. 

Uma coisa que adorei, é o fato do autor abordar as relações entre pessoas de mesmo sexo, mas sem focar nisto, mostra de forma natural, como pode ocorrer na vida de cada um.
Porém, é claro que teve pontos que não gostei e o principal era a forma como o Pedro via a sua mãe. A todo momento ele se referia a ela como "gorda" e isto me incomodou (sim, meus quilos a mais gritaram neste momento). Pedro não tem uma relação de filho e mãe, na verdade, soou-me como se o mesmo nem tivesse sentimento por ela.

O livro é narrado em primeira pessoa pelo Pedro e gostei, pois mostra muito dele mesmo, de quem ele é. A capa tem elementos que representam a "sorte" e o "azar", e a edição do e-book está bem "Ok", sem nada de espetacular, mas nos padrões.
"No fim, se ninguém te comeu em vida, a terra irá comer, em algum momento"
Pedro vive uma vida "comum" e vai passar por situações "comuns" em alguns seios familiares. No entanto, diferente de muitas pessoas, Pedro ver a vida com um humor negro, daqueles no qual seus pensamentos são sempre os incomuns e ácidos.
Ele vai errar, vai acertar, vai cair e vai levantar. Ele vai mostrar o pior lado do ser humano, mas também vai mostrar o bom. Um livro real, com personagens reais e acontecimentos reais. 
Sorte, sorte é você está vivo. Azar, azar é você não saber viver!

Beijos da Lice

11 comentários

  1. Nossa, sinceramente é um livro que eu jamais leria.
    Não gosto de livros com essas histórias de isso tá errado, começou errado... rs
    Por isso, eu julgo muito importante ler resenhas!

    ResponderExcluir
  2. Confesso que não é um tipo de livro que eu leria, mas gosto da forma que você escreve, sucesso...

    ResponderExcluir
  3. Oi Alice! Achei a premissa do livro interessante. Desde a história de começar na concepção do protagonista, até todos os ensinamentos que ele tem durante a vida.
    Confesso que também não gostei dele chamar a mãe de gorda, porque isso PRECISA parar de ser um xingamento ou ofensa. Porque acho que foi o que entendi, ele não parece ter sentimentos por ela - talvez por tudo o que passou -, e tenta depreciá-la.
    Achei a capa fofinha. Acho qhe nunca julgaria que ele fala desses temas, por essa capa haha
    Muito boa sua resenha, parabéns. Beijos

    https://almde50tons.wordpress.com

    ResponderExcluir
  4. Oiii Alice

    Eu também gosto de obras cruas, que mostram a realidade e falam sem papas na lingua ou mimimi, não conhecia esse livro e achei o contexto todo bem interessante.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Nossa, parece ser um livro pesadinho, né? Pela capa julguei ser infantil haha

    Mas me interessei bastante pela estória. Parece que o autor deixou os personagens verossímeis, com várias camadas, e adoro isso. Sem dúvidas já foi pra tbr!

    Abraço,
    lupiliteratus.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Gente, que livro pesado. A capa realmente engana e a primeira vista até parece ser um livro "leve". Mas gente, coitado do Pedro e que vida ein? Nada fácil... Nunca li nada parecido e seria interessante conhecer. Já esta na minha wishlist!
    Alias, parabéns pela resenha, tu sempre arrasa!
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Pela capa nunca adivinharia o conteúdo do livro. Não sei se o leria, achei bem pesado, mas fiquei curiosa pela história de Pedro, sim.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  8. Oi!
    Adorei a resenha! Não sei se leria esse livro no atual momento, mas gosto de saber que tem um protagonista que é gente como a gente.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Olá
    Adoro livros que transformam nossa realidade em uma enorme piada sem graça, mas acho que no momento não estou na vibração certa para o livro, mas com certeza vou guardar a dica para um momento mais propicio pois a premissa realmente me agradou.

    ResponderExcluir
  10. Oi Alice, da para perceber o humor negro logo na capa, tadinho do coelhinho rsrrs.
    Gostei da sua resenha, confesso que somente a capa não seria capaz de me convencer a ler este livro. Mas sua resenha por outro lado despertou minha curiosidade. Eu não conheço a editora nem o autor, mas curto este tipo de humor.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Oi Alice!
    Caraca, eu nunca tinha visto e quando vi a capa não imaginava que guardava esse tipo de história. Eu não sei se leria o livro, mas sua resenha esta como sempre maravilhosa.
    Bjs
    https://almde50tons.wordpress.com

    ResponderExcluir